PUB

Mundo

República Democrática do Congo declara fim da epidemia de Ébola

As autoridades de Kinshasa anunciaram este domino o fim da epidemia do Ébola, que tinha sido declarada oficialmente no final de agosto numa zona isolada da República Democrática do Congo (RDCongo), provocando 49 mortos.
O ministro da Saúde congolês, Félix Kabange Numbi, indicou igualmente que a RDCongo acabou a formação de um primeiro grupo de 180 pessoas especializadas na luta contra esta doença, “pronto para intervir na Guiné-Conacri, na Serra Leoa, na Libéria e no Mali”.
Na RDCongo, “o fim da epidemia (…) não significa que o perigo está totalmente ultrapassado”, porque o Congo “continua, como todos os outros países do mundo, sob a ameaça de casos de importação da doença do vírus do Ébola”, sobretudo a partir do Oeste de África, declarou Kabange, durante uma conferência de imprensa em Kinshasa.
O anúncio do fim da epidemia acontece 42 dias depois do registo do último caso de doença provocado pelo vírus, a 04 de outubro, e menos de três meses depois do seu reconhecimento pelas autoridades. A duração da incubação do vírus do Ébola é de 21 dias.
“Convido toda a população congolesa a guardar e a praticar todas as medidas de higiene elementar, nomeadamente a lavagem de mãos com sabão ou com cinza”, acrescentou.
O ministro convidou também o pessoal médico a observar as “medidas universais de higiene hospitalar e de controlo da infeção” e pediu-lhes que exortem “as populações que vivem ao redor da floresta a evitar tocar ou consumir animais encontrados mortos nas florestas”.
As autoridades congolesas tinham declarado oficialmente a epidemia do Ébola a 24 de agosto.
Esta epidemia registada na RDCongo corresponde a uma variação do vírus e é distinta da que grassa no Oeste de África.
No Congo, a doença atingiu uma região encravada da província do Equador (Noroeste), em plena floresta equatorial, no distrito de Boende (800 quilómetros a nordeste de Kinshasa).
No Oeste de África, de acordo com o último balanço da Organização Mundial de Saúde, publicado na quinta-feira, o Ébola provocou 5.177 mortos.
No início de Outubro, as Nações Unidas tinham saudado “o imenso trabalho” realizado por Kinshasa e seus parceiros na luta contra a doença.
Fonte: Observador

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top