PUB

Política

Visita a Cabo Verde de primeiro-ministro da Guiné-Bissau remarcada para 2015

A visita oficial a Cabo Verde do primeiro-ministro da Guiné-Bissau, inicialmente prevista de 04 a 07 deste mês, foi remarcada pera fim de janeiro ou início de fevereiro, anunciaram hoje fontes governamentais dos dois países.
A indicação foi dada pelo primeiro-ministro cabo-verdiano, José Maria Neves, e pelo ministro dos Negócios Estrangeiros guineense, Mário Lopes da Rosa, no final de um encontro entre ambos, na Cidade da Praia.
O chefe da diplomacia guineense deslocou-se a Cabo Verde por algumas horas para entregar a José Maria Neves uma mensagem de solidariedade do chefe do executivo guineense, Domingos Simões Pereira, disponibilizando também 58 mil euros para apoiar a crise provocada pelo vulcão do Fogo, em erupção há 16 dias, razão do adiamento da visita.
“Há um conjunto de ações a ser empreendidas entre os dois governos. Queremos dinamizar a cooperação nas áreas dos transportes, aéreos e marítimos, económico-empresarial e técnico-científica, agenda que deverá ser discutida no quadro da cooperação bilateral”, afirmou Lopes da Rosa.
O diplomata guineense indicou, também, que há a possibilidade de José Maria Neves visitar oficialmente a Guiné-Bissau, data que só será acertada durante a estada de Domingos Simões Pereira na Cidade da Praia.
Sobre as relações bilaterais, afetadas nos últimos anos pelo facto de as autoridades cabo-verdianas nunca terem reconhecido o Governo de Transição saído do golpe de Estado de abril de 2012, Lopes da Rosa indicou que estão a “normalizar-se” e que há “boas perspetivas” para o futuro.
“Normalizando. As relações estão a normalizar. Há boas perspetivas e passado é passado. Estamos agora a ver as perspetivas. Mas posso dizer que está tudo a ser muito bem alinhavado. Está tudo a ser preparado. Há um conjunto de medidas a serem tomadas, sobretudo a nível empresarial”, indicou.
A este propósito, José Maria Neves, confirmando as datas da visita à Guiné-Bissau avançadas por Lopes da Rosa, manifestou “total disponibilidade” de Cabo Verde em redinamizar a cooperação bilateral, no domínio económico e empresarial, reforma do Estado e da Administração Pública, governação eletrónica, turismo, ensino superior, ciência, inovação e segurança social.
“Em relação à cooperação económica e empresarial há muitos empresários com interesse em desenvolver relações especiais com a Guiné-Bissau, designadamente realizando investimentos privados para participar na reconstrução, no crescimento e na competitividade da economia guineense”, realçou o primeiro-ministro cabo-verdiano.
Fonte: Lusa

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top