PUB

Política

Legislativas de 2016:Eleição de Janira baralha “cabeças” para Sal e Santo Antão

A chegada, tanto de Démis Lobo Almeida, ministro da Presidência do Conselho de Ministros, como de Leonesa Fortes, ministra do Turismo, Investimento e Desenvolvimento Empresarial, ao Governo era evocada como uma estratégia para os lançar como cabeças de lista nas Legislativas de 2016 no Sal e em Santo Antão. Mas a eleição de Janira Hopffer Almada (JHA) a presidente do PAICV pode baralhar essas contas.
A ideia de projectar Démis Lobo e Leonesa Fortes para encabeçar as listas do PAICV nas ilhas do Sal e de Santo Antão, respectivamente, era tão assumida por certos sectores do partido que chegou a causar mal-estar em São Vicente. Aliás, logo após a chegada dos dois ao governo, os dirigentes “tambarinas” na “Ilha do Monte Cara” fizeram questão de registar em acta da reunião da Comissão Política Regional do Partido o seu descontentamento com facto de o Primeiro-Ministro, José Maria Neves, levar para o Executivo potenciais cabeças listas de ilhas onde o eleitorado mostrou-se bastante dividido nas legislativas anteriores e não contemplar São Vicente.
Os dirigentes mindelenses consideraram nessa altura tal facto como mais um sinal de que a direcção nacional do PAICV não estava a dar a devida atenção a São Vicente, pois, a pouco mais de ano das eleições, não se projectou nenhuma figura de proa da ilha para ganhar visibilidade no executivo nacional.
ALTERAÇÃO DE RUMO
Mas as coisas que pareciam evidentes para esses dirigentes podem mudar de figura com eleição de Janira Hopffer Almada. O que se sabe é que a corrente jovem que apoiou a eleita presidente do PAICV em Santo Antão não aceitará de ânimo leve a designação de Leonesa Fortes cabeça de lista naquele círculo eleitoral, mesmo porque a ministra do Turismo, Investimento e Desenvolvimento Empresarial foi uma apoiante assumida da adversária de JHA nessa corrida à liderança do PAICV, Cristina Fontes Lima. Por outro lado, são mais ou menos públicas as discordâncias entre as duas ministras, desde que Leonesa Fortes dirigia o Instituto Nacional de Previdência Social (INPS).
Enquanto tutela da pasta de Trabalho, JHA chegou a demonstrar desconforto em público com a forma como as coisas aconteciam no INPS e, por causa disso, volta e meia pareciam nos “media” notícias sobre a possível demissão ou ida de Leonesa para outra empresa do Estado que não estivesse sob a subordinação da agora presidente do PAICV.
CENÁRIOS
Nem uma coisa nem outra acabou por acontecer, pois, como afirmam pessoas próximas do PAICV, Leonesa tinha suporte tanto do Primeiro-Ministro como da ministra das Finanças e do Planeamento, Cristina Duarte, com quem trabalhou enquanto secretária de Estado, e que, também, tutela o INPS.
Em 2016, o cenário será bem diferente e dificilmente Leonesa Fortes conseguirá impor-se como o rosto da lista do PAICV em Santo Antão.
O caminho de Démis Lobo pode ser menos espinhoso no Sal, até porque trata-se de um jovem que mostrou cabedal político nos últimos embates na “Ilha do Aeroporto”.
Mas tudo vai depender do seu desempenho no Governo, sobretudo da forma como conseguir gerir dossiês como a fusão da Agência Cabo-Verdiana de Notícias (Inforpress) e a RTC (Rádio-Televisão Cabo-Verdiana), assim como outros ligados ao sector da Comunicação Social, pasta que tutela.
Seja como for, como afirma a presidente eleita (JHA), muito disso vai depender, também, da maneira de como decorrerem as articulações no Congresso do Partido, marcado para Janeiro próximo.

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top