PUB

Ambiente

Cabo Verde pode servir de laboratório meteorologia da CEDEAO

O presidente da Assembleia Nacional defende que Cabo Verde pode servir de laboratório para os restantes países da CEDEAO em matéria de meteorologia.
No acto de enceramento da III conferência ministerial sobre a meteorologia (AMCOMET), que aconteceu entre os dias 13 e 14 de Fevereiro na cidade da Praia, Basílio Ramos convidou as organizações internacionais e os países do continente a estudarem o exemplo de Cabo Verde, no domínio de meteorologia. Um país com vulcões onde se formam os furacões que fustigam outras partes do mundo. E onde há um esforço enorme para se vencer a natureza.
“Este arquipélago selhelíano e com vulcão activo e zona de formação de furações que fustigam as Caraíbas e América do Norte poderá bem servir de laboratórios tanto para se aquilatar os efeitos das mudanças climáticas, como para testemunhar o esforço titânico do cabo-verdiano para a sua sobrevivência, particularmente na luta incessante para a mobilização da água e para vencer a batalha contra a desertificação”, afiançou.
Para Basílio Mosso Ramos, os serviços de meteorologia cumprem um papel insubstituível que muitas vezes não é visível para a maioria das pessoas.
“Basta pensarmos na aviação civil, no serviço de busca e salvamento, navegação e agricultura para nos aperceber do seu papel estratégico nos dias de hoje”. Por estas e outras razões Basílio Mosso Ramos defende a necessidade de adopção de políticas susceptíveis de emponderar os serviços de meteorologia em África.
A reunião da cidade da Praia serviu para os vários ministros dos países que fazem parte da União Africana debaterem vários aspectos relacionados com a meteorologia, a mudança climática. Mas serviu também para afixação de quota no valor de mil dólares que cada país membro vai pagar doravante. E a escolha do dia 26 de Junho como dia africano de meteorologia.
A IV conferência ministerial para África sobre a meteorologia será realizada na Tunísia em 2016. E Cabo Verde assume a presidência de AMCOMET até 2017.
 

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top