PUB

Cultura

Cidade CVMA: Tapete vermelho para o glamour musical pisado este sábado

É já este sábado que acontece a maior festa de premiação da música em Cabo Verde. A dois dias da grande noite, o cenário está todo ele pronto para receber os artistas nomeados, os convidados e o público que queira acompanhar tudo mais de perto.
Os preparativos de mais uma gala dos Cabo Verde Music Awards (CVMA) decorrem, segundo a organização, “a 101 por cento”. Isto é, a experiência acumulada deu à organização uma visão “mais ampla” e “mais concisa” de tudo o que tem de ser feito para que a Grande Noite não passe despercebida junto do público e possa perdurar, por muito tempo, na memória de todos, pelo menos, até ao próximo CVMA.
A FIC, na Achada Grande Frente, volta a ser o palco dos CVMA depois da experiência bem sucedida do ano passado. De acordo com Soraia de Deus, o espaço poderá ser o palco que se busca para este tipo de eventos em Cabo Verde, por ser uma infraestrutura mais indicada, desde logo, pelo seu parque de estacionamento e que permite fazer vários ajustes, em função daquilo que se espera.
O local permite ainda montar o evento ao gosto da organização. Por isso, este ano a equipa resolveu transformar o espaço na Cidade CVMA com dois bares, “para que o público possa adquirir alimentação e bebidas, espaço para a imprensa, corredor para os artistas, camarin, ou seja, este ano deu tempo para fazer tudo como idealizava mas que não era possível devido ao tempo”, disse Gilyto Semedo.
Fez-se ainda manutenção nas casas de banho de forma a garantir melhores condições a todos que queiram participar na gala. “Na FIC estamos a desenhar um espaço para o futuro”, confidencia Gilyto Semedo, dando asas ao seu lado produtor.
Parceira
Este ano os CVMA conseguiram uma importante parceira com o Ministério da  Cultura. Uma resposta à ausência desse organismo e cuja ausência, no ano passado, chegou a ser alvo de críticas. Uma situação que agora está ultrapassada, segundo aquele músico e produtor.
“Jamais quisemos criar um conflito entre o CVMA e o Ministério da Cultura. Chamamos, sim, a atenção porque é uma área cultural. Há vários apoios dados pelo ministério como documentação, contactos e isso para nós é muito importante”.
Daquele ministério o CVMA conseguiu apoios com bilhetes de avião e três mil e quinhentos contos em mecenato. Enfim, um apoio que, para a organização, é “muito bem vindo”, desde logo, devido ao alto custo para a realização de um evento deste tipo, no caso, a rondar os trinta mil contos.
Internacionalização
Para além da festa e presença de vários artistas no CVMA, a ambição da organização sempre foi a sua internacionalização, ou seja, catapultá-lo para fora do país para que possa atingir o máximo de pessoas e juntá-los à festa.
Este ano, para além da transmissão ao vivo  pela Tiver, no canal da Sapo, a organização conseguiu trazer a Cabo Verde jornalistas estrangeiros. “CVMA despertou interesse internacional. Vai estar presente o canal português SIC, o Flash Vida e o Correio da Manhã”, revelou ao A NAÇÃO Gilyto Semedo.
Uma abordagem feita pelos canais lusófonos mas que posteriormente poderá chegar a outras paragens. “Isso tudo vem mostrar o que andamos a solicitar aos artistas e ao público. Que queremos criar uma plataforma internacional”, sublinha.
Surpresas
Quase todas as “surpresas” foram reveladas semanas antes da realização da Gala. Para além da prata da casa, os CVMA trazem, este ano, Stweart Sukuma (Moçambique), Bruna Tatiana (Angola), Ali Angel (Antilhas) e Luís Represas (Portugal) são os chamados para darem mais música ao evento.
Para além desses, Gilyto Semedo, mentor do projecto, que também é músico, vai dar o seu contributo subindo ao palco como o menino do funaná, kziomba e outros géneros. Este revela que vai haver um dueto na gala de sábado, mas não será ele o protagonista. A cantora Lura também foi chamada para a festa, assim como Baby T e o performance Djam.
Outro momento preparado para os que irão assistir à gala ao vivo será um sorteio de um bilhete de passagem internacional e outro para um dos nomeados.
After party deslocado para FIC
A festa que acontece depois da gala, “after party” deste ano, foi deslocada também para a FIC. Segundo a organização, o facto de as pessoas terem que sair daquela zona para irem à Praianha para a festa que aí acontecia fazia a organização perder cerca de 50% do público.
Por essa razão, foi improvisada uma sala, na parte exterior, com uma design “futurístico”, que irá surpreender os presentes, para além da conjunção dos dj’s convidados. A oferta musical do “after party”, ainda segundo a nossa fonte, é uma mistura eclética que irá viajar entre o “lembra tempo”, músicas nacionais mais contemporâneas e músicas internacionais.
Forte segurança
Para a quinta gala dos CVMA, a organização diz ter dobrado a segurança com efectivos da Polícia Nacional, Guarda Municipal, Protecção Civil, Guarda Costeira e ainda duas empresas privadas do sector. Isto tudo para controlar toda a movimentação que se irá registar no local na noite de sábado. “Um reforço máximo possível por causa da segurança”, dizem os promotores, com uma iluminação das 18 horas até as seis da manhã de domingo (8).
E por falar em segurança, a organização ainda concebeu os bilhetes, tanto da Gala como do “after party”, com vários detalhes, principalmente reconhecimento biométrico, de forma a não haver falsificações.
O espaço da FIC foi preparado para receber duas mil pessoas, e à entrada irá ter tapete vermelho e laranja para quem quiser aparecer. Para ver e apreciar. E, se for o caso, não esquecer… a noite que promete ter muito glamour.
 

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top