PUB

Economia

Governo quer CERMI como referência internacional vocacionada para mercados da CEDEAO e PALOP

O Governo quer o Centro de Energias Renováveis e Manutenção Industrial (CERMI), hoje inaugurado, como um centro de referência internacional, e particularmente vocacionado para os mercados da CEDEAO e dos PALOP.
Esta pretensão foi manifestada pela ministra da Juventude Emprego e Desenvolvimento dos Recursos Humanos, Janira Hopffer Almada, na cerimónia de inauguração realizada na tarde desta terça-feira, na presença do grão-duque do Luxemburgo e Presidente da República de Cabo Verde.
Janira Hopffer Almada sublinhou que a ideia é transformar essa infra-estrutura num centro que oferece condições formativas, de auditoria, de certificação, de fiscalização, de monitorização, de investigação e desenvolvimento de excelência, capazes de responder aos desafios tecnológicos de Cabo Verde e dos países da região nas áreas de energias renováveis e manutenção industrial.
“Essa pretensão, na nossa perspectiva, é absolutamente exequível pela via da materialização da nossa visão consubstanciada na implementação de um conjunto de objectivos específicos que se prendem com a capacitação e formação de recursos humanos de excelência domínio das energias e da manutenção industrial”, sublinhou.
Janira Hopffer Almada adiantou que, ainda no decurso deste mês, serão realizadas as primeiras acções de formação, domínio em que o centro já dispõe de equipamentos e uma bolsa de formadores certificados.
Muito em breve, estarão também a ser lançados dois estudos de mercado junto do espaço da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) e dos Países de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) para que as estratégias do Governo com esse centro respondam às necessidades concretas de desenvolvimento.
“Isso será determinante par a um arranque com sucesso”, afirmou a governante indicando que “ambição é gigantesca”.
Orçado em cerca de 850 mil contos, o CERMI, cujas obras foram financiadas pela Cooperação Luxemburguesa, tem três componentes fundamentais: salas de aula, “ateliês”, que são espécies de oficinas, onde os estudantes vão exercer na prática o seu ofício e serviços de apoio com auditório, salas de informática, biblioteca, cafetaria e zonas administrativas.
O acto inaugural foi co-presidido pelo ministro da Cooperação e Acção Humanitária de Luxemburgo, Romain Schneider, que manifestou disponibilidade do seu país continuar a apoiar Cabo Verde ao nível da formação profissional e também a na implementação das políticas de eficiência energética e energias renováveis.
Fonte: Inforpress

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top