PUB

Política

Luxemburgo e Cabo Verde devem acrescentar diversificação económica à sua cooperação – Grão-Duque

O grão-duque do Luxemburgo defendeu esta terça-feira, durante uma sessão solene em sua homenagem no Parlamento, uma nova fase na cooperação com Cabo Verde que vai privilegiar a diversificação económica e a intensificação das trocas entre o sector privado.
Ciente de que há “qualquer coisa de muito especial” nas relações entre os dois países, que faz com que elas sejam “únicas” e baseadas em laços de afecto e fidelidade, desde os primeiros anos da independência nacional, Henri Albert Guillaume lembrou que, em 1993, o Luxemburgo decidiu tornar Cabo Verde um parceiro privilegiado da sua cooperação.
Na altura, informou, foi assinado o primeiro programa geral de cooperação, devendo o quarto programa indicativo de cooperação (PIC) 2016-2020 ser assinado durante a visita de três dias que iniciou hoje ao arquipélago, salientando que cada PIC foi precedido pelos sucessos dos programas anteriores.
Mas a principal riqueza nas relações entre Luxemburgo e Cabo Verde são as relações entre os dois povos, a troca humana, indicou Henri Albert Guillaume, confiante de que esta visita irá reforçar os laços de amizade entre os dois países, favorecendo o conhecimento mútuo.
Manifestou, por outro lado, a satisfação pelo facto de o Luxemburgo acolher uma importante comunidade de imigrantes cabo-verdianos formada de pessoas bem integradas, aliás uma das mais importantes comunidades estrangeiras fora da União Europeia a residir no Grão-Ducado, como explicou.
O grão-duque qualificou também de “muito importante” a contribuição dos cabo-verdianos para o desenvolvimento económico do Luxemburgo para onde levou a sua insularidade e alegria de viver.
Porque esse engajamento deve ser recíproco, anunciou para este fim-de-semana a realização do Festival de Imigração, que terá o mérito de destacar Cabo Verde e no qual vai participar na companhia do ministro cabo-verdiano das Relações Exteriores, Jorge Tolentino.
“Sim, o vosso país tem o seu lugar em Luxemburgo”, afiançou o grão-duque ao realçar os ganhos conseguidos em 40 anos de independência que têm garantido a paz, a estabilidade política, a democracia parlamentar e o respeito pelo Estado de direito e pelos direitos humanos.
Segundo Henri Albert Guillaume, isso fez de Cabo Verde “um modelo democrático” para a África, graças a uma boa governança que o permite ter uma inflação mínima e um Produto Interno Bruto mais alto do que muitos países da África Sub-sahariana, ao mesmo tempo que ascendeu, em 2008, à categoria de país de rendimento médio.
O grão-duque elogiou também os resultados positivos da experimentação, pela primeira vez, da coabitação política num país cuja economia começou a ser liberalizada desde há 15 anos com base na privatização, nos investimentos públicos nas infra-estruturas e num quadro favorável ao investimento directo estrangeiro.
Ao recordar que o seu país faz da ajuda ao desenvolvimento uma das suas “verdadeiras” prioridades que continua sendo essencial mesmo em tempo de crise, reafirmou que a política de cooperação luxemburguesa assenta-se sobre dois eixos: escolha dos países alvo e durabilidade, através de programas de médio e longo prazo.
No caso de Cabo Verde, a ajuda do Luxemburgo preconiza a redução da pobreza, a luta contra as disparidades sociais e a criação de novas oportunidades de desenvolvimento, notou, sublinhando que, mesmo depois da ascensão a país de rendimento médio, o seu país decidiu manter o seu nível de ajuda, de modo a continuar a contribuir para a transformação do arquipélago e a redução das vulnerabilidades do seu tecido económico.
Após a sessão solene no Parlamento, Henri Albert Guillaume e delegação visitaram a Embaixada do Grã-Ducado na Cidade da Praia e inaugurou o Centro de Energias Renováveis e de Manutenção Industrial (CERMI), projecto financiado pela Cooperação Luxemburguesa.
Antes do banquete oficial oferecido pelo Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, o grão-duque preside à abertura do Fórum Económico e Empresarial, que vai debater o tema: “Cooperação entre Cabo Verde e o Luxemburgo: um exemplo de cooperação europeia?”.
Fonte: Inforpress

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top