PUB

Cultura

Santa Cataria: Câmara organiza ciclo de tertúlias na Biblioteca Municipal

A Biblioteca Municipal de Santa Catarina recebe a partir deste mês de Março um ciclo de tertúlias que se irá estender até ao final do ano. Uma iniciativa do pelouro da educação e formação do executivo de Francisco Tavares, para promover a partilha de experiências e dinamizar o uso do referido espaço cultural.
A directora do gabinete de educação e formação da Câmara Municipal de Santa Catarina, Leila Lopes, explicou ao A NAÇÃO que o objectivo é transformar a biblioteca local num centro vivo de cultura e debates com uma agenda autónoma. E com isso inaugurar um novo ciclo de relacionamento entre a biblioteca e os munícipes, dando um maior dinamismo àquele espaço do cultivo do saber.
“Vamos convidar escritores, artistas e profissionais em diversas áreas e com alguma notoriedade social para partilharem as suas ideias e experiência de vida com o publico, através de uma conversa aberta”, adianta.
Com esse propósito, já foram agendadas duas tertúlias para este mês de Março. Um no dia 7, sábado, para assinalar o Dia Internacional da Mulher, e outro a 25, Dia Mundial do Teatro. A primeira tertúlia, “Mulheres guerreiras”, tem como protagonistas a presidente da Associação de Vendedeiras de Santa Catarina, Edna Dias, e a enfermeira Maria Rosa Borges, sendo moderador o professor e sociólogo Henrique Varela.
Segundo Leila Lopes, as duas “mulheres batalhadoras”, hoje reconhecidas no concelho como pessoas bem sucedidas e que lutaram para vencer as adversidades da vida e para criar os seus filhos, vão poder partilhar as respectivas experiências e segredos para chegarem onde estão hoje.
E para 25 de Março será vez do actor, dramaturgo e escritor João Branco partilhar a sua experiência no mundo do teatro com os participantes, no painel “Teatro: pelo sonho caminhamos”. O programa, nessa data, culminará com o lançamento do mais recente livro de João Branco, “Crónicas Desaforadas”, a ser apresentado pelo jornalista António Alte Pinho.
Em Abril haverá mais
E para o mês de Abril, Leila Lopes avança desde já que estão previstas mais duas tertúlias. Uma no início desse mês, tendo como tema a problemática da violência urbana, no qual serão convidados sociólogos e jovens artistas do Hip Hop, nomeadamente, os que lidam com esse tipo de problemas nas suas músicas.
E uma outra tertúlia, a 25 de Abril, para assinalar os 41 anos do fim da ditadura salazarista em Portugal, com a vinda de um combatente português. Este, segundo a organização, irá explicar como é que as revoltas sociais, nomeadamente as que aconteceram em Santa Catarina, terão contribuído para o eclodir da chamada Revolução dos Cravos, em Portugal, acontecimento que ajudou a acelerar a descolonização nas antigas colónias portuguesas em África.
Por estas e outras razões, Leila Lopes diz acreditar que este ciclo de tertúlias promovido pela Câmara Municipal de Santa Catarina poderá vir a ser “um autêntico fórum de discussões” e, mais do que isso, “uma incubadora de ideias”. E que isso poderá também ajudar a dinamizar a vida cultural, social, político e económica naquele concelho de Santiago, construindo pontes para “o desenvolvimento e o progresso social sustentável”.
 

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top