PUB

Cultura

Cinema da Praia recebe mostra de filmes angolanos

A Associação de Cinema e Audiovisual de Cabo Verde (ACACV) inicia na tarde deste sábado, no Cinema da Praia, o ciclo da mostra de filmes angolanos com a exibição da película “Angola 12 anos de Paz”.
De acordo com o presidente da ACACV,  Júlio Silvão, trata-se de uma parceria entre a associação que dirige e a embaixada de Angola e as câmaras municipais da Praia, Santa Cruz e Santa Catarina de Santiago, envolvendo um total de quatro filmes, tendo o seu arranque na Livraria Pedro Cardoso, com a película “Mulheres de Angola”.
O filme “Angola 12 anos de Paz” vai ser exibido, igualmente, a 10 do corrente,  em Pedra Badejo, (concelho de Santa Cruz), enquanto o Cinema de Assomada vai receber duas amostras de filmes angolanos entre os dias 13 a 19 do corrente, no quadro da formação a ser dirigida aos santa-catarinenses.
Júlio Silvão avançou, por outro lado, que a Associação de Cinema e Audiovisual de Cabo Verde encerrou na tarde desta quinta-feira,  em Santa Cruz,  a primeira formação nacional denominada “Projeto Cinema, Olhares e Formação”,  virada pela arte da difusão de cinema, com a entrega de certificados a 22 formandos e produção de quatro filmes produzidos durante a formação e que vinha decorrendo desde 17 de Março.
Considerou que os filmes de curta-metragem exibidos transmitem a importância desta acção, ao mesmo tempo que revelam como saíram os formados desta acção de formação.
Júlio Silvão revelou que a ACACV vai dar continuidade a uma formação idêntica,  na localidade de Lém Ferreira, na Cidade da Praia, de 06 a 12 do corrente, contando já com o interesse de 26 jovens inscritos, interessados na aprendizagem na arte de cinema.
A formação, explica Silvão, consiste em técnicas teóricas e práticas que vão da pré-produção, produção, realização e finalização da edição de filmes – no sentido de interiorizar no seio dos participantes os incentivos e técnicas para a produção de filmes através de telemóveis, máquinas de filmar, câmaras fotográficas de entre outros mecanismos da nova tecnologia.
Prometeu, para uma segunda fase, uma formação complementar, virada para a especialização, nas áreas de operador de câmaras, realização e produção, desta feita centralizada no Parque 5 de Julho.
A ideia, especifica, é levar formação descentralizada do tipo a todos os concelhos do País.
Fonte: Inforpress

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top