PUB

Desporto

Cabo Verde elogia candidatura de Figo à FIFA, mas diz-se “grato” a Blatter

Cabo Verde elogiou hoje a candidatura do português Luís Figo à presidência da FIFA, mas diz-se “grato” a Joseph Blatter, garantindo que levará isso em conta para votar nas eleições para a organização, marcadas para 29 de maio.
A posição foi defendida à agência Lusa pelo novo presidente da Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF), Vítor Osório, durante o ato de tomada de posse, após as eleições de 11 de abril, indicando que o país tem “uma ideia” de qual vai ser o seu sentido de voto nas eleições na FIFA, mas, neste momento, está a ouvir as 11 associações regionais do país.
“Naturalmente que temos uma ideia de qual vai ser o sentido de voto de Cabo Verde. Neste momento, por uma questão de democraticidade interna, estamos em fase de ouvir as nossas associações sobre esta matéria”, indicou Osório, dizendo que só depois disso é que o país tornará público o seu posicionamento relativamente ao voto na FIFA.
O novo presidente da FCF disse, entretanto, que o país é “grato” por aquilo que a gestão de Joseph Blatter, concorrente a um quinto mandado, fez para com Cabo Verde.
“A equipa de gestão liderada por Mário Semedo (durante quase 16 anos) foi altamente apoiada pelo presidente Blatter e pelo presidente da CAF, Issa Hayatou. Houve um desenvolvimento gradual do desporto cabo-verdiano e não devemos ignorar esse aspeto”, lembrou.
Vítor Osório, que derrotou o presidente da Associação Regional de Futebol de Santiago Sul (ARFSS), Mário Avelino, nas eleições à presidência da FCF, insistiu que o voto será anunciado “em breve”, mas “nunca esquecendo” o apoio do presidente Blatter a Cabo Verde.
Relativamente à candidatura do português Luís Figo, o novo dirigente máximo do futebol cabo-verdiano afirmou que não será um problema pelo facto de a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) também ajudar Cabo Verde, com programas de formação e assistência técnica e estando neste momento a pagar parte do salário do selecionador, o também português Rui Águas.
“Há todo um processo que vem decorrendo há um tempo a esta parte. Cabo Verde saberá demonstrar às pessoas e às organizações que nos ajudam que somos gratos. Isso não será um problema”, prosseguiu, elogiando a “boa candidatura” de Figo: “(O Luís Figo) é uma personalidade do futebol mundial e um personagem conhecido. Mas há outros candidatos e, a seu tempo, iremos tornar público o apoio de Cabo Verde, sem esquecer a amizade e tudo aquilo que a FIFA fez por nós na liderança do presidente Blatter.”
Vítor Osório recordou ainda que a Confederação Africana de Futebol (CAF) deliberou em novembro o seu apoio à candidatura de Joseph Blatter e está a fazer uma campanha para conseguir o voto das 53 federações africanas, mas ainda não é hora de tornar público o apoio.
Além do português Luís Figo e o atual presidente Joseph Blatter, concorrem ainda à presidência da FIFA o príncipe Ali bin Al Hussein, da Jordânia e vice-presidente do organismo para a Ásia, e Michael van Praag, líder da federação holandesa.
Vítor Osório, que tomou posse numa cerimónia que contou com a presença de ministros, dirigentes, treinadores, atletas e muita gente ligada ao desporto, elegeu a organização, captação de recursos, seleção, futebol e formação como pilares para os próximos quatro anos na FCF.
Em relação ao campeonato nacional, disse que o próximo que arranca no dia 09 de maio tem figurino definido desde novembro, mas em 2016 a prova máxima de clubes no país deverá ser realizada em novos moldes para promover mais competição e provas nacionais.
Vítor Osório traça ainda como meta qualificar a seleção para a Copa de África das Nações (CAN’2017) e “lançar as bases” para ver os “Tubarões Azuis” no mundial de 2018, na Rússia.
Fonte: Lusa

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top