PUB

Economia

Standard & Poors: Cabo Verde está no nível que tecnicamente é considerado de lixo – presidente MpD

O “rating” de Cabo Verde em B/B, divulgado no mais recente relatório da agência Standard & Poors, mostra que tecnicamente o país está no nível que é considerado “lixo”, afirmou hoje o presidente do MpD (oposição).
Ulisses Correia e Silva fez estas considerações em declaração aos jornalistas no final da cerimónia de entrega da chave da Cidade da Praia ao embaixador da União Europeia em Cabo Verde, reagindo assim às afirmações do primeiro-ministro, José Maria Neves, sobre o relatório, assegurando que as mesmas estão “totalmente ao contrário daquilo que é a avaliação da Standard & Poors.
“A classificação de Cabo Verde está no nível que tecnicamente é considerado de lixo. Esta é a leitura técnica do resultado da classificação de Cabo Verde, não há outras leituras e não entendo como é que o primeiro-ministro transforma isso em um crescimento robusto e em classificação positiva para o país”, precisou.
O líder do Movimento para a Democracia (MpD) explicou que o “rating” de Cabo Verde em B/B, significa que o risco do país é “extremamente elevado”, o que não convida os investidores a investirem, nomeadamente na dívida pública cabo-verdiana, já que se Cabo Verde tivesse hoje de lançar obrigações no mercado de capitais internacionais, “ninguém compraria”.
“É preocupante, é uma má classificação, o crescimento de Cabo Verde continua extremamente baixo, os dados reais apontam que o país não cresce mais do que um a dois porcento, a projeção para 2015 é de cerca de três por cento, é muito baixo, porque o crescimento potencial de Cabo Verde que em 2008 era de sete por cento, baixou para três por cento”, indicou.
Segundo o presidente do maior partido da oposição, a classificação do país mostra um quadro económico “extremamente gravoso” que tem implicações na vida das pessoas, traduzindo-se em “mais desemprego, aumento da pobreza, fenómenos de insegurança nas cidades”, por isso, diz não entender como é que o primeiro-ministro consegue, através de uma classificação que é “má para o país, criar uma ideia do mundo fantástico no país”.
Esta terça-feira, em reação ao relatório da agência Standard & Poors divulgada a 04 de Maio, o primeiro-ministro, José Maria Neves sublinhou que o “rating” de Cabo Verde mostra a “resiliência” da economia cabo-verdiana em relação à crise, apresentando ainda perspectivas de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) real do país.
O relatório projecta que o crescimento do PIB real continua “aquém do esperado” o que levou a agência a rever a estimativa para 2014, de dois por cento para um por cento, previsto na última revisão, publicada em Dezembro de 2014, quando os últimos dados publicados pelo INE (Instituto Nacional de Estatística), em Abril deste ano, apontam para um crescimento em 2014 de 2.7 por cento.
A Standard & Poors realça que esta previsão é a consequência de uma combinação do crescimento económico “lento” na zona euro, um “mau” ano agrícola, uma performance “menos conseguida” no sector do turismo e a “desaceleração” do investimento público.
Entretanto, a agência antevê um crescimento do PIB real que atinja a média de 3,5 por cento entre 2015 e 2018 e perspectiva que a lenta melhoria do desempenho económico europeu vai apoiar o turismo e o investimento directo estrangeiro, enquanto a demanda doméstica deverá beneficiar dos recentes investimentos públicos em infra-estruturas básicas e preços de energia mais baixos.
Fonte: Inforpress

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top