PUB

Cultura

Grupo do Sal vence “Konkursu hip hop” de Djam Projects

Tailor Gang, o grupo da ilha do Sal, foi o grande vencedor do primeiro concurso de hip hop realizado este sábado, no Parque 5 de Julho, por Djam Projects.
O primeiro classificado levou para casa um troféu e um prémio de 60 mil escudos. Em segundo lugar ficou Devaby Mask de Santo Antão e na terceira posição TNT de São Vicente.
O Konkursu hip hop trouxe à cidade da Praia seis concorrentes das ilhas de Santo Antão (Devaby Mask), São Vicente (TNT), Sal (Tailor Gang), São Nicolau (Dnamikus), Santiago (Black Alngel´s) e Fogo (Beku Sketi). Ficou por aparecer o grupo que também idealizou a realização deste concurso, o SD da ilha do Maio.
Foram quatro horas de música urbana onde houve ainda espaço para grupos convidados e free style com AfroSwagg e Cia Sandra Amado (Praia), Bibinha Cabral e Transformers – Tarrafal (Tarrafal de Santiago), PCC (Assomada), muitos aplausos e muita emoção.
Para o grupo vencedor que surgiu a cerca de dois anos, o objectivo era vencer e o sacrifício valeu a pena uma vez que, apesar dos apoios recebidos pela Câmara Municipal do Sal, não deram para cobrir as despesas dos seis dos 12 elementos que conseguiram chegar à Praia.
“Sabemos que o hip hop não é muito ajudado. O prémio foi um incentivo, o prémio monetário não quer dizer nada, mas agora podemos dizer orgulhosamente que somos o melhor grupo de hip hop de Cabo Verde”, afirmou Erickson Ramos, 22 anos, elemento dos Tailor Gang que espera que esta iniciativa tenha futuro e valorize cada vez mais esta dança urbana.
Já um dos elementos do júri o evento foi bom. “Gostei da energia transmitida pelos grupos, não foi espectacular como na Europa, mas foi bom porque consegues ver que dançaram com o coração e que realmente gostam do que fazem e estou muito feliz por passar este tempo em Cabo Verde, tem muitas pessoas simpáticas, fui muito bem recebido”, afirmou B Boy Lilou.
Para a escolha do primeiro lugar, este elemento do júri diz que “contou mais a coreografia, a música e o traje, acrescentou Lilou para quem a dança do hip hop em Cabo Verde é algo novo mas acredita que a pouco e pouco vaise desenvolver e ficar melhor. “Espero voltar, iria adorar regressar e passar mais tempo em Cabo Verde para trocar experiência, ensinar o que sei”.
Djam Neguim, mentor da Djam Projects ficou satisfeito com o resultado “onde marcamos um passo mesmo grande. O que importou aqui não foi a grandeza da produção porque estamos no início, o evento cumpriu o seu objectivo”, afirmou Djam que confidenciou que os jurados disseram que ficaram inspirados com o que viram e que o projecto é para continuar. “Porque é assim que poderemos tornar-nos melhores e permitirá a evolução dos grupos”.
O evento também serviu para homenagear o artista plástico Dudu Rodrigues, falecido em Novembro de 2014. À família foi entregue um troféu e esta ficou muito emocionada. “Ele era uma pessoa com quem todos podiam contar. Marcou a minha vida e continua a marcar através do nosso filho”, afirmou Vacilizia Chantre. CG
 
 

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top