PUB

Sem categoria

Destaques da edição 426 do Jornal A NAÇÃO

TACV: ACCIONISTA ESTADO QUER ASSEMBLEIA-GERAL DE EMERGÊNCIA
O Estado solicitou a convocação, de emergência, da assembleia-geral da TACV para analisar questões relacionadas com a gestão financeira e aspectos operacionais da companhia. Nos últimos dias têm vindo a público denúncias que dão conta de situações de má gestão, com reflexos na imagem da empresa. João Pereira Silva, PCA da TACV, diz que está à espera da reunião desde Março.
JOÃO PEREIRA SILVA, PCA DA TACV À ESPERA DO GOVERNO DESDE MARÇO
Diante da informação de que o Governo pretende realizar uma assembleia-geral da TACV para decidir o que fazer com a companhia, o PCA desta, João Pereira Silva, revelou que está à espera de uma tal reunião desde Março passado.
FUNDO DO AMBIENTE: MOISÉS BORGES INCORRE EM MULTA DO TRIBUNAL DE CONTAS
As contas de 2012, 2013 e 2014, do Fundo do Ambiente, foram entregues em cima do prazo do ultimato de 10 dias dado pelo Tribunal de Contas. Mesmo assim, o director-geral do Ambiente, Moisés Borges, que, por inerência, é gestor desse fundo, não deixa de incorrer numa multa por não ter respeitado os prazos legais (31 de Maio do ano seguinte) para a prestação de contas.
SUPREMO TRIBUNAL DE JUSTIÇA: JUÍZES REJEITAM PRESSÃO POLÍTICA
O colectivo do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), empossado esta terça-feira pelo chefe de Estado, reúne-se ainda esta semana, ou o mais tardar na próxima, para escolher o seu presidente. Arlindo Medina e Benfeito Mosso Ramos, que já ocuparam a função, mostram-se nada interessados em reocupar o cargo. Fátima Coronel, cujo nome já foi ventilado, está também longe de ser uma certeza.
ECONOMIA: PORQUE EXPORTAMOS TÃO POUCO?
País insular, sem grandes matérias primas e, praticamente, sem qualquer produção industrial, Cabo Verde não tem conseguido atingir a chamada economia de escala, que lhe permita competir internacionalmente e exportar mais bens e serviços. Enquanto os empresários falam da falta de incentivos à exportação, o diretor-geral do Comércio e Indústria, Amílcar Monteiro, contrapõe e diz que os incentivos são “uma prática contrária” à Organização Mundial do Comércio (OMC). O certo é que, apesar das críticas, Cabo Verde atingiu receitas na ordem dos seis mil milhões de escudos em 2014, em exportações, mas muito mais poderia ser arrecadado. Saiba como e porquê.
CADERNOS E COLUNAS
A edição 426 do Jornal A NAÇÃO, que chega às bancas nesta quinta-feira, 29 de Outubro, traz ainda a edição mensal do VALOR, caderno de economia e negócios que, entre outros temas, aborda as exportações de Cabo Verde as quais, até à data, abrangem maioritariamente os produtos do mar que representam cerca de 85% do total exportado. Nesta edição pode ler ainda a coluna de Marciano Ferreira e as opiniões de Arsénio de Pina, António Carlos Gomes e José Robalo.
 

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top