PUB

Política

Mensagem de Natal: 2015 foi um ano muito “importante” na história de Cabo Verde – PM

O ano de 2015 foi “importante” na história de Cabo Verde tendo em conta a celebração dos 40 anos da sua independência, transformando-se de “improvável” para um país “possível que é hoje”, considera o primeiro-ministro, José Maria Neves.
O chefe do Governo falava, esta terça-feira na sua mensagem de Natal aos cabo-verdianos, transmitida na Televisão de Cabo Verde (TCV), tendo igualmente desejado um “santo Natal” a “todas as cabo-verdianas e a todos os cabo-verdianos”, a todos os que residem nas ilhas, sobretudo aqueles que mais precisam de uma “mão amiga”, “palavra amiga”, de um “abraço solidário”.
Almejou ainda que 2016 seja um ano com “muita luz, claridade, determinação” para que possam continuar esta “gesta” que é a todos os títulos “nobre”, de construir um Cabo Verde dos sonhos.
O governante disse que o país teve “uma história de sucesso”, sobretudo nesses últimos 15 anos, em que conseguiu “ganhos extraordinários”, enalteceu o facto de Cabo Verde ser hoje um país de rendimento médio e também porque vai cumprir todos os Objectivos do Desenvolvimento do Milénio.
“Hoje o país está mais apetrechado para continuar nesta caminhada rumo ao desenvolvimento e fizemos uma coisa muito importante, trabalhamos para o desenvolvimento equilibrado de todas as ilhas para combater assimetrias regionais”, acrescentou.
Segundo José Maria Neves, apesar do país ter reduzido a pobreza de 37 por cento (%) em 2000 para 21 % em 2010, ainda cerca de um quarto da população é pobre, afirmando que já fizeram “muito” para admitir que se deve continuar a trabalhar para erradicar “definitivamente” a pobreza em Cabo Verde.
Reconheceu ainda que o desemprego no arquipélago ainda é “elevado”, salientando que se está num “bom caminho” com o investimento feito “fortemente” na formação profissional e na educação, no ensino superior para dar aos jovens as ferramentas necessárias que lhes permitam depois ter “sucesso” integral no mercado do trabalho, numa economia “mais dinâmica, inovadora, competitiva, próspera e com mais oportunidade para todos”.
A nível mundial recordou na sua mensagem os fenómenos migratórios, avançando que querem que Cabo Verde seja um país de encontro, diálogo, ou seja, encontro de “cultura e de civilizações” onde “todas e todos” podem sentir-se “bem”, sendo cabo-verdiano ou não para viveram neste país de “paz, tolerância e de liberdade”.
“O mais importante é continuarmos a trabalhar para enfrentarmos com determinação os desafios que ainda temos pela frente. Já fizemos um longo caminho. Nestes anos todos, particularmente nesses últimos 15 anos que estivemos juntos, mas ainda temos muitos desafios pela frente, o mais importante é continuar esta caminhada rumo ao desenvolvimento, com muita alegria, energia, porque Cabo Verde merece tudo, absolutamente tudo de todos nós”, reconheceu.
José Maria Neves perspectivou 2016 como um ano “muito desafiante” para os cabo-verdianos, justificando com as três eleições (legislativas, autárquicas e presidenciais), pelo que a seu ver é “fundamental” transformar essas eleições em jornadas cívicas, em espaços de debates, de roteiro de propostas alternativas de governação.
“Cabo Verde é nosso maior património, e tenho certeza que juntos podemos defender e promover cada vez mais esse nosso património comum, esta nossa casa comum que é Cabo Verde”, enfatizou.
Fonte: Inforpress

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top