PUB

Economia

Boa produção agrícola

O ano 2015, em termos do desenvolvimento rural, fica marcado pela boa produção agrícola, tanto a nível da agricultura de sequeiro como do regadio. Apesar de algumas pragas, nomeadamente lagarta medidora, que dizimaram o cultivo de feijão bongolon e plantas de abóbora, em algumas localidades de Santa Catarina de Santiago, ilha do Fogo e Maio.

A chuva registada, em 2015, sobretudo nas ilhas do Sul deste arquipélago, permitiu não só uma boa produção agrícola a nível do sequeiro, como também a germinação de pasto forrageiro em abundância e qualidade. Isto numa altura em que as previsões apontavam para um ano agrícola medíocre, para não dizer mau, devido ao atraso na chegada das chuvas.

A nível de regadio, 2015 fica marcado pelo o transbordo da maioria das barragens já construídas, nomeadamente Poilão (São Lourenço das Órgãos), Faveta (São Salvador do Mundo), Saquinho (Santa Catarina), e Figueira Gorda (Santa Cruz), todas em Santiago. A quantidade de água armazenada nessas infra-estruturas permitiu a retoma produtiva nas várias bacias hidrográficas, sobretudo a de Poilão, que vinha abastecendo os mercados nacionais com hortícolas frescos e a um preço acessível.

Contudo, importa referir que os cultivos nas ilhas de São Nicolau e Santo Antão foram fortemente fustigados pela passagem do furação Fred por Cabo Verde. O mau tempo provocou o derrube de plantas fruteiras como bananeira, papaieira e fruta pão. Mas também danificou instalações de cultivos em estufas e hidroponia. Em São Nicolau, por exemplo, os prejuízos rondaram os 30 mil contos.

Mas o “Fred” deixou também muita água nas barragens, sobretudo em Santiago e Santo Antão, deixando Cabo Verde com um armazenamento jamais registado nestas ilhas – cerca de cinco milhões de litros cúbicos. Infelizmente, a água retida em Figueira Gorda (São Nicolau), em pouco tempo, desapareceu, deixando a nu as deficiências de um tal investimento, que não ficou por pouco. O Governo, esse, já disse que vai proceder à correcção dos problemas detectados.

Em geral, no que diz respeito ao ano agrícola, prevê-se uma boa colheita, tanto a nível da agricultura de sequeiro bem como de regadio, como há muito não se via em Cabo Verde, assim como pasto para os amimais. Com a água armazenada os agricultores perto das barragens construídas poderão dar curso ao seu trabalho, retirando da terra os meios de subsistência, agora com melhores condições do que no passado.

 

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top