PUB

Desporto

O desabafo emotivo do empresário de Rúben Semedo: “O meu menino não merecia esta crueldade”

Catió Baldé escreveu uma carta no blogue Ditadura de Consenso onde revela que o jogador português do Villarreal “caiu numa armadilha”. Central foi detido e ficou em prisão preventiva, acusado de tentativa de homicídio e posse ilegal de arma, entre outras.
Para Catió Baldé, a Rúben Semedo “caiu numa armadilha”. O central do Villarreal está em prisão preventiva, acusado da prática de seis crimes, entre os quais tentativa de homicídio.
Numa carta aberta publicada no blogue Ditadura de Consenso, o empresário escreve um longo texto sobre o “filho”, num relato emocionado da ascensão e queda do miúdo do Casal da Mira, desde as origens até à transferência milionária do Sporting para Espanha, no verão, por 14 milhões de euros.
“O Rúben Semedo, como muitos jovens jogadores, estão expostos aos novos abutres que proliferam à volta deles. São assediados de todas as formas, por mulheres, frequentam discotecas e possuem carros luxuosos e potentes. Vestem as melhores marcas, vivem em sumptuosas vivendas e muito mais. O Rúben Semedo infelizmente caiu numa dessas armadilhas, burlado por especialistas e experts na matéria. O meu menino e jogador não merecia esta crueldade de estar a contas com a justiça, privando-o de fazer o que mais gosta que é jogar à bola”, pode ler-se na carta.
Eis a carta, publicada no blogue Ditadura do Consenso:
“Rubem Semedo, meu Filho
Catio Balde, Agente do Rubem Semedo
Há momentos na vida que não desejamos aos nossos piores inimigos. Estou destroçado e muito triste.
Rubem Semedo, filho de pais cabo-verdianos nascido em Portugal, produto concebido nos bairros de lata de Lisboa, casal de Mira, Damaia e Amadora. Faço esta identificação porque, muitos na comunidade guineense (amantes de futebol), associam o Rubem Semedo como guineense por ser representado pelo Catio Balde.
Entre 2007 e 2008, a Academia do Sporting, em Alcochete, era o viveiro dos maiores talentos de jovens futebolistas aspirantes a serem jogadores profissionais de futebol. Como colaborador externo da Academia, tinha acesso privilegiado e era visto como um parceiro válido no projeto do Sporting.
Tinha já nesse período, em Alcochete, entre 8 a 12 jogadores no regime de internato, e a maioria tinha vindo directamente da Guiné-Bissau e para escalões diferentes. Os jogadores que tiveram logo um impacto tremendo foram o Antoninho, o Bruno Mendonça, o Bruma, o Amido Baldé, o Agostinho Cá e o Edgar Ié.
Aquando da chegada do Rubem Semedo ao Sporting (fruto da prospecção do clube de Alvalade), vindo do Fofo e do Benfica, eu estava já a colaborar com o Sporting. Assisti e acompanhei de perto os primeiros passos do Rubem Semedo como jogador do Sporting, porque estava inserido no grupo de 1994 – considerado o melhor escalão por albergar os maiores talentos do futuro. Bruma, João Mário, Enric Die e Mané; Esgaio, Tobias Figueiredo, Iuri Medeiros.
Um dia, os directores da Academia, Professor Jean Paul, coordenador técnico e José Trocado, director administrativo, convocaram-me para uma reunião (era hábito ter estas reuniões). Sentados na sala, propuseram-me a possibilidade de passar a fazer um acompanhamento ao Rubem Semedo.
A explicação foi simples. Este miúdo precisa de alguém que o acompanhe e aconselhe e ele não tem ninguém. Nenhum empresário dos que aqui andavam e tinham o domínio sobre jogadores na academia, ninguém pegou no Rubem Semedo.
O professor Jean Paul, o maior e melhor coordenador técnico da Academia, disse-me o seguinte: Pega nesse jogador porque, ele vai ser um jogador de topo. Esse vai chegar lá e vais ganhar dinheiro com ele. Pediu-me que procurasse a família do Rubem Semedo e assim fiz.
Comecei a acompanhar a vida do Rubem Semedo e passei a olhar para ele como se fosse um menino descoberto no nosso estádio Lino Correia em Bissau. Há muitas histórias para contar mas, prefiro guardá-las para minha memória futura.
A nossa caminhada foi longa e dura, o miúdo foi crescendo e tornou-se cada vez mais e melhor jogador. Foi queimando etapas e na realidade os prognósticos do professor Jean Paul tornaram-se realidade.
Do Sporting a Reus, na Espanha, Setúbal e o Sporting, forma-se um defesa de topo. Já não restava dúvidas a ninguém que estávamos perante aquele que podia vir a ser um dos maiores defesas centrais modernos.
Rubem Semedo foi vendido ao Villarreal de Espanha por 14.000.000 de euros pelo Sporting. O sonho de jogar em Espanha e no melhor campeonato do mundo tornou-se realidade. Mas o início da época no novo clube não foi o mais desejado. Problemas físicos e de adaptação estiveram na origem periclitante do atleta no novo clube.
O Rubem Semedo, como muitos jovens jogadores, estão expostos aos novos abutres que proliferam à volta deles. São assediados de todas as formas, por mulheres, frequentam discotecas e possuem carros luxuosos e potentes. vestem as melhores marcas, vivem em sumptuosas vivendas e muito mais.
O Rubem Semedo infelizmente caiu numa dessas armadilhas, burlado por especialistas e experts na matéria. O meu menino e jogador não merecia esta crueldade de estar a contas com a justiça, privando-o de fazer o que mais gosta que é jogar à bola.”
 
 

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top