PUB

Economia

Missão empresarial portuguesa em fórum de investimento em Cabo Verde

segundo o Governo cabo-verdiano, o primeiro Cabo Verde Investment Fórum (CVIF) resulta do compromisso assumido na sequência da Conferência Internacional realizada no mês de dezembro, em Paris.
Durante o evento na ilha do Sal, que se prolonga até quarta-feira, Governo liderado por Ulisses Correia e Silva vai apresentar 35 projetos, esperando mobilizar mais de 500 milhões de euros juntos de parceiros privados.
Com o evento, o executivo pretende igualmente fortalecer a cooperação empresarial e ampliar as oportunidades de negócios no país e na sua zona geográfica de influência.
O fórum vai contar com a presença de várias delegações, entre elas uma missão empresarial portuguesa, liderada pela secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, que vai ser oradora num dos painéis.
Depois do Sal, a missão empresarial portuguesa segue para as ilhas de Santiago e de São Vicente.
No primeiro do fórum, o Governo de Cabo Verde vai assinar o Compacto Lusófono com Portugal e o Banco Africano de Desenvolvimento (BAD).
O Governo cabo-verdiano vai estar representado pelo vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, enquanto Portugal estará representado pela secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Teresa Ribeiro, e o BAD pela sua diretora de integração regional, Moono Mupotola.
O Compacto Lusófono foi celebrado entre Portugal e o BAD, como parte de um vasto leque de parcerias multilaterais anunciadas durante o Fórum de Investimento para África, em Joanesburgo, África do Sul.
Em outubro, o BAD apresentou o instrumento em Cabo Verde, indicando que pretende promover o setor privado e as Parcerias Públicas Privadas (PPP) nos PALOP e tem três áreas de foco: mitigação de riscos para projetos de investimentos, financiamento e assistência técnica.
Na altura, o consultor e representante do BAD Keith Martin sublinhou que o BAD opera com projetos acima de 30 milhões de dólares, mas dentro do compacto irá focar em “projetos menores”, priorizando os setores da água e saneamento, energia renovável ou agronegócios.
O Compacto para o Desenvolvimento é uma iniciativa lançada no final de 2017 pelo BAD e pelo Governo português para financiar projetos lançados em países lusófonos com o apoio financeiro do BAD e com garantias do Estado português, que assim asseguram que o custo de financiamento seja mais baixo e com menos risco.
LUSA
Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top