PUB

Covid-19

COVID-19: Cidadãos mindelenses lançam campanha para recolha de sabonetes e sensibilização

Um grupo de cidadãos mindelenses lançou nesta segunda-feira (23), uma campanha para recolha de sabões, sabonetes e sabonetes líquidos para serem distribuídos em zonas carenciadas de São Vicente.

Além de providenciar donativos aos mais carenciados, esta campanha denominada “Lava bo mon” tem um propósito de sensibilização.

A campanha teve início na manhã desta segunda-feira, tendo como locais de recolha dos sabonetes o Centro Cultural Português e a Clínica Veterinária Mindelvet.

Entre os cidadãos promotores desta iniciativa encontra-se João Branco, Salvador Mascarenhas, Maria da Luz, entre outros.

Face ao diagnóstico de dois casos positivos de COVID-19 na ilha da Boa Vista, este grupo mobilizou-se no sentido de dar o seu contributo aos mais necessitados.

De recordar que entre as recomendações da Organização Mundial de Saúde e todas as autoridades sanitárias, está a necessidade de lavar constantemente as mãos, além do isolamento social.

“Este grupo de cidadãos já atuou naquela componente do isolamento social, quando a partir de sábado, por iniciativa nossa, colocamos um carro na rua. É um carro de som para ir para todos os bairros com os sons institucionais que indicam do ponto de vista das autoridades sanitárias de Cabo Verde, o que é preciso fazer”, diz João Branco, um dos promotores da campanha “Lava bo mon”

Segundo este responsável auscultado pelo A NAÇÃO, trata-se de uma campanha pedagógica. Além de oferecer sabão às famílias, incentivam-nas a a lavar as mãos sempre.

“Lavar as mãos sempre que passamos de um ambiente para o outro, de uma maneira tecnicamente mais cuidadosa do que estávamos acostumados antes desta crise”, acrescenta.

Segundo revela esta fonte, a iniciativa tem obtido um feedback interessante da sociedade civil e que no final do dia, com recurso a três viaturas, todos os donativos recolhidos serão entregues à famílias de zonas carenciadas de São Vicente.

“Estamos a contactar redes de supermercados, e os fabricantes nacionais que fabricam esse tipo de produtos. É um contributo e uma necessidade, porque temos de fazer alguma coisa e pedir as pessoas que tentem ao máximo ficar em suas casa e, que caso saiam ,que se higienizem aonde quer que cheguem, pois o caso é muito sério”, conclui João Branco.

Até então foram diagnosticados três casos positivos de COVID-19 em Cabo Verde, todos na ilha da Boa Vista.

#juntosnaprevenção

#ficaemcasa

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top