PUB

Covid-19

Banco Mundial apoia a resposta de Cabo Verde à COVID-19

O Conselho de Administração do Banco Mundial aprovou esta quinta-feira, 2, um
crédito da Associação Internacional de Desenvolvimento (IDA) no valor de 5
milhões de dólares para apoiar Cabo Verde na intensificação dos seus esforços
de preparação e resposta à pandemia da COVID-19.

Conforme um comunicado do Banco Mundial, o Projeto de Resposta de
Emergência à COVID irá reforçar o Plano Nacional de Preparação da COVID-19
do Governo e centrar-se em ampliar e reforçar todos os aspetos de prevenção,
preparação e resposta.

“Irá definir as prioridades a nível central e local e identificar os papéis e as
responsabilidades de uma equipa técnica de intervenção rápida (Equipa Técnica
de Intervenção Rápida, ETNIR)”, lê-se no comunicado.

“O Projeto de Resposta de Emergência à COVID é uma operação essencial que
visa impedir a propagação da pandemia mediante a aquisição de equipamento e
materiais médicos essenciais para a população de Cabo Verde. Sendo uma
pequena economia insular dependente do turismo, serviços e remessas do
estrangeiro, o país está determinado a limitar os impactos na saúde, tendo em
conta os impactos sociais e económicos previstos, que perspetivam perdas de
empregos e uma redução do crescimento”, afirmou Fatou Fall, Representante
Residente do Banco Mundial.

O Grupo Banco Mundial está a lançar um pacote acelerado de 14 mil milhões de
dólares para intensificar a resposta à COVID-19 nos países em desenvolvimento
e reduzir o tempo de recuperação.

A resposta imediata inclui financiamento, aconselhamento em matéria de
políticas e assistência técnica para ajudar os países a enfrentarem os impactos na
saúde e económicos da pandemia.

A IFC está a conceder financiamento de 8 mil milhões de dólares para ajudar a
preservação dos empregos nas empresas privadas afetadas pela pandemia. O
BIRD e a IDA estão a disponibilizar um valor inicial de USD 6 mil milhões, ao
longo de 15 meses, para proteger os pobres e vulneráveis, apoiar os negócios e
reforçar a recuperação económica.

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top