PUB

Política

Praia: Orçamento da Câmara Municipal para 2021 com “um rosto profundamente humano e social”

O presidente da Câmara Municipal da Praia, Francisco Carvalho, afirma que o orçamento camarário para 2021 tem “um rosto profundamente humano e social”, com um aumento de 276% a nível do eixo coesão social, em relação a 2020.

A declaração do edil paraense foi dada durante a manhã de hoje (28), durante a primeira sessão ordinária para aprovação do plano de atividades e o orçamento municipal para 2021.

Avaliado em cerca três milhões de contos, o orçamento camarário para o corrente ano conta com um aumento de 44%, a nível do capital humano, face ao ano de 2020, o que, de acordo com o Francisco Carvalho, ilustra a sua política social.

Na sua declaração, Carvalho mostrou o interesse em desenvolver e criar mecanismos para auxiliar os munícipes a enfrentarem a pandemia da covid-19 e ainda a abertura para dar respostas às sugestões e às críticas da população, que eventualmente possa ser alvo.

Já quanto às críticas sobre as medidas sociais já anunciadas, autarca manifestou estranheza pelo facto de 60 dias após a sua tomada de posse “começar-se a falar em medidas eleitoralistas”, e disse não entender tais acusações, pois, defendeu que a sua equipa trabalha para todos os munícipes da Praia.

O líder camarário avançou, ainda, que as obras inacabadas da gestão anterior serão retomadas, desde que haja sustentabilidade e que os empreiteiros cumpram os contratos.

“Nós estamos simplesmente a substituir o poder autárquico dantes instalado. Esta equipa vai dar continuidade e respeitar todos os compromissos, mas é natural este compasso de espera para se retomar as obras, porque há que analisar os contratos, se aquilo que a empresa foi financiada corresponde ao programado”, observou Francisco Carvalho.

Entretanto, o edil lembra que a retoma dessas obras “não é algo automático”, e caso hajam contratos que não foram cumpridos, essas obras serão suspensas, citando como “exemplo incontornável” o mercado Coco.

Relativamente ao programa de legalização de casas clandestinas, Carvalho prometeu a sua continuidade, assim como analisar e avançar com a atribuição de lotes de terreno no Alto da Glória e estudar as preocupações levadas até si pelos munícipes para a requalificação de alguns bairros da capital.

Francisco Carvalho criticou, aquilo que classificou de “má prática”, nomeadamente, a realização de obras nas vésperas das campanhas eleitorais que deve ser “definitivamente banida” pela autarquia, pois, no seu entender, tal prática passa à população “uma má mensagem” que só contribuirá para “denegrir a imagem” dos políticos e dos partidos.

Por conseguinte, o autarca avançou que a Câmara Municipal da Praia vai publicar uma resolução que irá determinar o período limite para o início das obras municipais no concelho.

Outra mensagem tranquilizadora de Francisco Carvalho foi direcionada aos taxistas da capital, no sentido de avaliar e “sanar as injustiças cometidas” aos profissionais da classe.

PUB

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

PUB

PUB

To Top