PUB

Política

Vox Pop: Que prioridades devem ter os novos deputados?

Laura dos Santos – 24 anos – Enfermeira – São Vicente
Devem focar na saúde para todos, porque vemos muitas pessoas a serem evacuadas e outras que não conseguem morrem à espera de tratamento. A meu ver, deveriamos ter pelo menos um especialista em cada ilha para responder à demanda dos pacientes ou então que fossem disponibilizados os meios que permitam que os pacientes desloquem para o exterior com menos burocracia. Devem igualmente criar mais postos de emprego, investir na formação para jovens das ilhas que não são da ilha de Santiago e aumentar o salário mínimo. Os deputados devem respeitar os cidadãos e defender os interesses do nosso país.

Domingos Moreira – 56 anos – Técnico de Telecomunicações – Espargos, Sal
A prioridade deve ser no sentido de contribuir (controlando e fiscalizando a governação) para minimizar as dificuldades que a pandemia da Covid-19 trouxe para muitas famílias. Nesse sentido, há que aproveitar melhor os benefícios que a natureza nos proporciona, melhorar a qualidade do ensino nas universidades e criar condições para que os cabo-verdianos tirem melhor proveito do turismo. É de realçar que, apesar de não estar a veridicar-se, os deputados devem defender os interesses da população e do país e não os interesses pessoais e do partido. Tenho esperanças que algum dia as coisas vão mudar e que também teremos candidatos sem partidos. Nessa altura, passaremos a votar nos candidatos com as melhores propostas e não nos presidentes dos partidos.

Sasha Montez – 28 anos – Publicitária – Praia, Santiago
Os novos deputados devem trabalhar para que sejam tomadas, de mãos dadas com o Governo, medidas necessárias para a minimizar os efeitos da Covid-19 e a melhoria das condições de saúde e, igualmente, para evitar gastos desnecessários na Administração Publica. Também devem levar ao Parlamento questões pertinentes e aprovar novas leis que protejam as minorias, particularmente a LGBTQI+. Essas prioridades só trarão mudanças positivas na melhoria das condições de vida, tanto para Cabo Verde em geral, como para a comunidade LGBTQI+ em particular, através de uma diminuição drástica da Covid-19 no país e, ainda, através de acções de formação e capacitação que garantam uma maior oportunidade de emprego.

Adilson Fernandes – 29 anos – advogado – Calheta, São Miguel
Os novos deputados devem priorizar a melhoria dos seus conhecimentos sobre o actual estado em que Cabo Verde se encontra para que possam estar por dentro dos desafios que o país precisa enfrentar e poderem contribuir para desenvolvimento do país. Uma outra prioridade deve ser no sentido de garantir os interesses e a defesa dos cidadãos na sua relação com o Estado, representando-os com zelo, diligência e responsabilidade. Igualmente, esses novos deputados devem trilhar um caminho de auto afirmação na direcção política do país, dando o seu contributo de forma contínua em todas as matérias, participando de forma activa nas sessões da Assembleia Nacional.

Júlio Rendal – 70 anos – Reformado – Espargos, Sal
A primeira das prioridades dos deputados deve ser uma nova postura e uma linguagem mais consentânea com o cargo. Devem ter mais educação e elevação nos discursos, ou seja, respeito para com os colegas e o eleitorado, defendendo as suas posições com mais elevação. Como deputados da Nação, devem defender os interesses do povo e não seguir cegamente as posições partidárias e ajudar a construir uma sociedade mais inclusiva, com menos desigualdade e pobreza. Devem utilizar a nossa língua nacional e pugnar para a sua oficialização o mais breve possível. Devem ainda defender a regionalização e a reforma do Estado, visando a racionalização dos meios.

(Publicada na edição semanal do jornal A NAÇÃO, nº 716, de 20 de Maio de 2021)

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top