PUB

Economia

São Vicente: Chegada de navio “Dona Tututa” a Cabo Verde adiada para Junho

A chegada do novo navio da CV Interilhas, “Dona Tututa” foi adiada para o mês de Junho. A informação foi avançada, esta segunda-feira (24), pelo o vice-presidente do Grupo ETE, Jorge Maurício.

Recorde-se que inicialmente a chegada estava prevista para finais do corrente mês, segundo esta mesma fonte. Contudo, Jorge Maurício confirmou hoje à Inforpress que o “Dona Tututa” se encontra em fase de conclusão do processo de manutenção no estaleiro Navaltagus, do Grupo ETE, em Portugal, passando a data prevista da chegada para o mês de Junho.

O vice-presidente do grupo ETE indicou que o foco da intervenção no navio nos estaleiro português foi a sua adequação aos ‘standards’ internacionais do mercado, “sempre acompanhada pela exigente sociedade classificadora” americana ABS, e aos requisitos da bandeira de Cabo Verde.

Jorge Maurício informou ainda que “Dona Tututa” traz consigo “mais capacidade de carga”, ou seja, 220 passageiros, 43 viaturas ou 11 atrelados de 15 metros, “mais conforto” para os passageiros e “maior acomodação” para os 16 tripulantes.

Trata-se de um navio que, segundo a mesma fonte, irá, “preferencialmente”, integrar a rota São Vicente/São Nicolau/Sal/Boa Vista/Santiago, do tipo ROPAX, roll-on roll-off de passageiros e cargas, com rampa de popa.

Relativamente à escolha do nome da pianista Tututa Évora, Jorge Maurício indicou manteve-se presente aquele que é o compromisso da empresa CV Interil.

has em aproximar os cabo-verdianos, bem como em manter presente a identidade de um País que, “de forma ímpar, tem registado um desenvolvimento ascendente”.

Epifânia de Freitas Silva Ramos Évora, tratada carinhosamente por Dona Tututa, nasceu a 06 de Janeiro de 1919, no Mindelo, ilha de São Vicente, cidade onde despontou como grande pianista e foi igualmente professora de piano. Faleceu em Janeiro de 2014, aos 95 anos.

Autora de temas como “Grito de Dor”, “Sentimento”, “Mãe Tigre” ou “Vida Torturod”, a pianista foi homenageada ainda em vida, ao ver o seu nome atribuído à Escola Municipal de Artes do Sal, ilha onde viveu e constituiu família.

c/ Inforpress

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top