PUB

Sociedade

V Recenseamento Geral da População e Habitação: INE com 1625 técnicos no terreno

O Instituto Nacional de Estatística (INE) inicia, a partir desta terça-feira (25) até 11 de junho, a formação dos recenseadores que estarão no terreno durante o Recenseamento Geral da População e Habitação (RGPH-2021), no próximo mês. Ao todo são 1625 técnicos.

Com esta formação o INE visa a capacitação dos 1625 recenseadores, já selecionados, com técnicas de entrevistas junto da população, a transmissão de conceitos metodológicos e informáticos para que os formandos possam “recolher os dados no momento certo e com qualidade”.

A coordenadora do 5.º Recenseamento Geral da População e Habitação, Maria de Lurdes Lopes, em declarações à RCV, explicou que no RGPH-2021, que decorre de 16 a 30 de junho, serão recolhidas informações sobre o sexo, a idade, nacionalidade, naturalidade das pessoas.

Ainda serão recolhidas questões sobre a emigração e a imigração, tanto internacional como nacional. Questões que, segundo a coordenadora, permitirão a análise das condições de vida dos agregados familiares em Cabo Verde, bem como, caracterizar e georreferenciar todos os edifícios existentes no país.

“Estes dados serão úteis para o país, pois irão servir tanto para o Governo como para as câmaras municipais elaborarem políticas públicas. Servirão, ainda, para pesquisas dos estudantes e da população, em geral, que necessite de dados estatísticos atualizados”, acrescentou.

De salientar que o 5.º Recenseamento Geral da População e Habitação, que estava inicialmente previsto para junho do ano passado, foi cancelado e reagendado para junho do presente ano, devido ao contexto de pandemia.

Neste sentido, o INE assegura que as questões de segurança sanitárias dos recenseadores e das populações estão a ser consideradas.

“Estamos a trabalhar em coordenação com a Direção Nacional da Saúde (DNS). Vamos tomar todas as medidas de segurança que a DNS está a ditar e que a população já conhece”, garantiu a coordenadora.

Maria de Lurdes Lopes, avança, ainda, que o INE continua em contacto com a DNS “para ver se existe a possibilidade de, em algumas situações, acompanharem e apoiarem na recolha de informações no terreno com segurança”.

C/RCV

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top