PUB

Santiago

Praia: Jovem esfaqueia cão violentamente em Alto da Glória – associações condenam “crueldade extrema”

Um vídeo posto a circular na rede social Facebook, que se tornou viral, expõe o momento em que um jovem desfere golpes de faca contra uma cadela, de nome Nina, no bairro de Alto da Glória, Praia. O acto, considerado de extrema crueldade e violência, terá acontecido antes de 6 de Maio, dia em que o novo Código Penal – que criminaliza os maus tratos à animais de companhia – entrou em vigor, o que não permite a sua aplicação no caso, segundo o Movimento Civil para as Comunidades Responsáveis. 

Mesmo assim, o Movimento e a Associação Bons Amigos juntaram as equipas para uma investigação para a identificação do autor do crime e do dono da cadela, tendo apurado ainda que Nina morreu na sequência do ataque, sem que lhe fosse prestado socorro ou amparo, “numa poça de sangue e com os intestinos expostos”.

“É uma história que nos choca e entristece de sobremaneira, ao mesmo tempo, serve de alerta. O autor do crime demonstra crueldade desenfreada, sem empatia alguma com a Nina que não para de chorar, tenta fugir e visivelmente está aterrorizada”, descreve o Movimento civil para as comunidades responsáveis.

Para a representante do movimento, Maria Fortes, os comportamentos do jovem, que também ameaçou pessoas que estavam próximas, com a mesma faca que matou Nina, são “claramente sinais de desordem grave da personalidade da ordem da psicopatia e/ou sociopatia, representando grande perigo para a sociedade”.

“Pessoas com estas características são, em geral, agressores que atacam fisicamente os mais fracos como crianças, mulheres e idosos ou, como vimos, animais indefesos. Demonstram a força para controlar através do terror”, considerou.

Maria condena igualmente a comunidade, que “não reagiu” perante o acto bárbaro, nem socorreu a Nina, o que, segundo diz, mostra a falta de empatia e dominância de valores tolerantes e reconhecedores da violência.

“Uma criança presencia o ato vil. Certamente, para ela, trata-se de um trauma que pode causar danos na sua personalidade de imediato e mesmo mais tarde, potenciando que ela mesma venha a ser agressor. O que esta criança aprende? Ficar alheio ao sofrimento. Não impedir atos de agressão e impor-se pela força e violência”, questiona ainda a nossa fonte.

Novo Código Penal criminaliza agressão

De recordar que o novo Código Penal, que entrou em vigor no início deste mês, já considera crime os maus-tratos de animais de companhia. Segundo o artigo 372, se o ato resultar na morte do animal, pode ser punido com dois anos de pena de prisão, que é o caso da Nina.

“De acordo com as informações que nos chegaram, este crime aconteceu antes do dia 6 de Maio, data em que o novo Código Penal entrou em vigor o que não permite a sua aplicação. No entanto, temos provas no vídeo que podem enquadrar o ato no artigo 136º ou no artigo 290º”, diz o movimento, se referindo a ameaças contra pessoas ou emissão de sinais de alarme com a prática de um crime de perigo comum.

O MCCR vai lançar a petição “Justiça à Nina”, endereçada às autoridades judiciais competentes para pedir a avaliação psicológica e a punição do indivíduo. Para ser também lançada uma campanha pela proteção e contra a violência contra os animais.

Desconhece-se as motivações do autor de tamanhã crueldade e violência, mas A NAÇÃO sabe, inclusive, que uma pessoa tentou se informar junto da PN se o autor de tamanha barbaridade foi detido, e a polícia disse que não.

Nas redes sociais o acto está a ser amplamente condenado pela sociedade, que levanta o nível de violência que o jovem em questão é capaz.

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top