PUB

Sociedade

Pandemia pode estar a aumentar o número de crianças na rua

A crise da covid-19 pode levar ao aumento de crianças na rua e do trabalho infantil, equacionam as instituições que trabalham com crianças em Cabo Verde.

 A hipótese é defendida pela Associação das Crianças Desfavorecidas (Acrides), que admite que a pandemia está a agravar a situação da pobreza no país e, consequentemente, o sofrimento das crianças mais vulneráveis.

“Esta situação de não ir à escola, com o aumento da pobreza, iremos ter mais crianças nas ruas, mais crianças a sofrerem. E o trabalho infantil irá aumentar, a nível mundial, e da pior forma, pelo que devemos estar atentos e pensar em todos os cabo-verdianos”, declarou a presidente da ACRIDES, Lourença Tavares, em declarações à Inforpress, por ocasião do Dia Mundial da Criança, assinalado hoje, 1 de Junho.

Lourença Tavares defendeu, por isso, que é preciso que todos estejam unidos e articulados e, sobretudo, que coloquem as crianças em situação de vulnerabilidade no centro das acções.

A problemática é admitida também pela presidente do Instituto da Criança e Adolescente (ICCA), Maria Livramento Silva, segundo a qual a pandemia tem agravado a vulnerabilidade das crianças pobres e gerado graves problemas económicos e perda de rendimento das famílias.

“Nós temos notado alguns casos de crianças na rua e principalmente nesta época de covid-19. Nós estamos a trabalhar com as famílias no sentido de as mesmas serem empoderadas e poderem receber, de volta, as crianças que estão nas ruas e ficarem mais em casa protegidas pela própria família”, adiantou.

Em relação ao trabalho infantil, o ICCA está a fazer um trabalho de recolha de informações para ver até que ponto essa situação pode perigar os ganhos conseguidos a esse nível.

“O trabalho infantil que é feito em Cabo Verde é mais um trabalho informal, difícil de ter dados concretos”, salvaguardou, indicando estar previsto para este ano a realização de um inquérito sobre o trabalho infantil, para ver qual é situação actual já que as últimas informações datam de 2012.

Por sua vez, a presidente da Fundação Infância Feliz, Adélcia Pires, disse não dispor de dados que lhe permitam opinar sobre o assunto, preferindo destacar o aumento da convivência das crianças com as respectivas famílias.

A pandemia da covid-19 levou ao aumento dos índices de pobreza e de pobreza extrema em muitos países e tem afectado a franja da população com rendimentos mais baixos, incluindo em Cabo Verde.

C/ Inforpress

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top