PUB

Covid-19

São Vicente: Mais de duas mil pessoas abordadas e 65 estabelecimentos encerrados ou suspensos

A equipa multidisciplinar criada para fiscalizar a implementação das medidas para conter a covid-19, em São Vicente, abordou, nas últimas três semanas, 2.050 pessoas na via pública, devido a ausência ou uso incorrecto da máscara. Ainda um total de 65 estabelecimentos foram encerrados ou suspensos devido a incumprimento.

A informação é pela coordenadora da equipa multidisciplinar, Maria Vitória Veríssimo, citada pela Inforpress. Conforme esta responsável, a “49 pessoas foram aplicadas coimas, por se recusarem ao uso de máscara ou porque se manifestaram de forma “menos correcta” para com a Polícia Nacional durante a abordagem.

Foram feitas 115 fiscalizações e atribuídos três selos de conformidade sanitária “não solicitadas”, o que “agradou à equipa”, pois encontraram estes estabelecimentos a funcionar “dentro das normas”.

Maria Vitória Veríssimo informou ainda que a equipa multidisciplinar, até o dia 28, tinha encerrado 30 estabelecimentos diurnos, para higienização e implementação das medidas sanitárias, e 35 estabelecimentos nocturnos viram suas actividades suspensas por não cumprimento do horário de funcionamento.

“São reabertos desde que o operador reponha o que não estava bem no quesito higiene e medidas sanitárias”, reforçou a mesma fonte, que lembrou que a equipa desencadeia também patrulhamento nocturno, que incrementa nas praias da ilha, aos fins-de-semana durante o dia.

A equipa multidisciplinar tem trabalhado também na obrigação do cumprimento da quarentena domiciliar, pois quando as pessoas incumprem, segundo Vitória Veríssimo, são abordadas pela equipa, por solicitação da Delegacia de Saúde ou na sequência de denúncias, e encaminhadas para o Centro de Estágio para quarentena sob a vigilância da equipa multidisciplinar.

Da mesma forma, a equipa tem recebido “algumas reclamações e denúncias” de actividades nocturnas em residências, sobretudo música alta.

“Normalmente são coabitantes, mas o que fazemos é uma abordagem para não haver música alta e evitar festas com outras pessoas, mas não conseguimos entrar, identificamos o dono da casa para posteriores esclarecimentos”, sintetizou a coordenadora da equipa multidisciplinar.

Neste momento as operações de fiscalização e implementação das medidas sanitárias, em São Vicente, decorrem envolvendo uma equipa multidisciplinar, a mesma que vem actuando há mais de um ano, constituída pelo Serviço Nacional de Protecção Civil (SNPC), Entidade Reguladora Independente para a Saúde (ERIS), Inspecção Geral do Trabalho, Inspecção Geral das Actividades Económicas (IGAE), Forças Armadas, Polícia Nacional, fiscalização da Câmara Municipal de São Vicente e Delegacia de Saúde.

C/Inforpress

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top