PUB

Cultura

Raiz di Polon faz balanço positivo da residência artística em Portugal

 

A Companhia de Dança “Raiz di Polon”, que participou de uma residência artística, nas cidades de Elvas e Lisboa, Portugal, entre os dias 17 de agosto a 11 de setembro, faz um balanço positivo das apresentações dE Mano Preto, que foi representar o grupo.

Em nota de imprensa, o grupo deu conta de que a participação do Festival A Salto, em Elvas, e a participação na residência artística em Lisboa, e ainda a receção do Prémio Prestígio – 25 anos da RDP África, “foi um enorme sucesso”.

Em Elvas, a estreia da peça “O Roncador”, no mítico Castelo de Elvas teve casa cheia e contou com a participação da bailarina Elvense, Daniela Gonçalves, recém-licenciada pela Escola Superior de Dança de Lisboa, do músico João Carvalho e de cerca de 12 “Ronqueiros” da região do Alentejo.

Em Lisboa, a Residência Artística e apresentação da peça “Nha fado, meu destino” nos Estúdios Victor Cordon também foi “marcante” para o Raiz di Polon, assim como a receção do Prémio Prestígio RDP – África na Associação Cabo-verdiana de Lisboa.

Outro momento considerado “muito simbólico” para o grupo de dança foi o lançamento de mais uma Revista Soca Magazine da Sociedade Cabo-verdiana de Autores que desta vez homenageou Mano Preto. Em agradecimento, o bailarino apresentou no evento uma performance acompanhada pelo músico Zezé Barbosa.

Antes de regressar ao país, Mano Preto participou ainda de um intercâmbio cultural na Zona do Cacém, a convite do contador de estórias, Adriano Reis.

 Tendo em conta as experiências “produtivas” alcançadas em Portugal, Raiz di Polon promete novos projectos, e a apresentação da peça “Roncador”, brevemente, em Cabo Verde. Em finais de Outubro está também prevista a estreia do “Nha fado, meu destino”, no “Festival Tearti”, peomovido pelo “Fladu Fla”, na Praia.

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top