PUB

Sem categoria

Presidênciais: “PAICV, MpD e UCID são responsáveis pela situação de desequilíbrio sócio-económico” – Jack Monteiro

O candidato Joaquim Jaime Monteiro acusou os partidos políticos, durante as ações no terreno desta segunda-feira, 4, de serem os principais responsáveis pela situação de desequilíbrio social e económico “instituído” no país.

Esta acusação foi feita em Tarrafal de Monte Trigo, Porto Novo, Santo Antão, no terceiro dia de visita de “Djack” Monteiro à sua ilha natal.

“Neste momento, com objetividade e realidade, o PAICV, o MpD e a UCID são responsáveis pela situação de desequilíbrio sócio-económico que está instituída em Cabo Verde”, frisou.

Neste sentido, o candidato mais velho da corrida presidencial, que acontece a 17 de Outubro, elucidou que as desigualdades socias só vão acabar quando Cabo Verde for “planificado, programado e unido” e com um Presidente da República “desaclopado” dos partidos dos políticos.

Apoio dos partidos aos candidatos 

Durante os seus discursos aos jornalistas, Joaquim Monteiro tem criticado os partidos políticos que estão ligados às campanhas de determinados concorrentes. 

Primeiramente, “Djack” Monteiro lamentou a aparição “descarada, indigna é abusiva” do presidente da União Cabo-Veridiana Independente e Democrática (UCID) ao lado do candidato apoiado pelo partido que está no poder, Movimento para Democracia (MpD).

“Isto vai acabar por destruir o partido, que tem gente e tem homens“, prognosticou Joaquim Monteiro, lembrando que a UCID foi a primeira força política a aparecer no regime de partido único.

Além disso, acusou o MpD de estar a “roubar” as suas ideias ao utilizar em cartazes a expressão “unir Cabo Verde”.

“Os candidatos estão a copiar o que estou a fazer porque não têm a massa cinzenta nas suas cabeças para saber o que Cabo Verde precisa”, apontou.

A Comissão Nacional de Eleições (CNE) também não escapou às acusações, pois, para este candidato, está “agarrada” ao partido que está no poder.

“É o trocar da casaca em função do partido no poder”, acusou.

Recorde-se que estas são as sétimas eleições presidenciais de Cabo Verde, desde 1991, ano em que pela primeira vez a escolha do PR passou a ser feita pelo voto directo, universal e pluralista. 

A eleição para o Presidente da República que irá suceder a Jorge Carlos Fonseca, no cargo, acontece no próximo dia 17 de Outubro e concorrem sete candidatos: Fernando Rocha Delgado, Gilson Alves, José Maria Neves, Carlos Alberto Veiga, Hélio Sanches, Casimiro de Pina e Joaquim Monteiro.

C/Inforpress 

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top