PUB

Economia

São Vicente: Trabalhadores do ISECMAR anunciam greve de dois dias

Os docentes e funcionários do Instituto Superior de Engenharias e Ciências do Mar, em São Vicente, entregaram um pré-aviso de greve de dois dias à Direção-Geral do Trabalho. A paralisação tem início previsto a partir de 21 de outubro.

Segundo o secretário-geral do Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública (Sintap), Luís Lima Fortes, a greve conta com a subscrição de 70% dos funcionários, entre docentes e não docentes do Instituto Superior de Engenharias e Ciências do Mar da Universidade Técnica do Atlântico (UTA).

Conforme o sindicalista, a recente criação da UTA trouxe alguma esperança de investimento académico na ilha de São Vicente, mas a implementação da ideia tem sido muito mal executada. 

Um dos exemplos, esclareceu, é à “perseguição àqueles que têm e continuam a contribuir para o desenvolvimento da instituição”.

“A começar pela não valorização dos recursos humanos, funcionários docentes e não docentes onde já se nota indícios de perseguição e tentativa de silenciamento de vozes críticas num ambiente académico”, explicou.

Reinvindicações

Luís Lima Fortes cita ainda a falta de publicação do estatuto do pessoal docente e não docente e nem da lista de transição dos funcionários da Universidade de Cabo Verde para a UTA com a resolução das pendências.

“Dos encontros havidos com o ministro da Educação, o Sintap tomou conhecimento de que o orçamento de 2021 não contemplava o impacto financeiro da resolução das pendências”, realçou o sindicalista.

Lima Fortes reitera que o cenário deve ficar resolvido no orçamento de 2022, em que todos os instrumentos de gestão terão que estar aprovados e publicados no Boletim Oficial ainda neste ano de 2021.

Os funcionários exigem ainda a instalação de importantes órgãos de gestão da UTA, segundo os objetivos indicados na Carta de Missão da Universidade para o ano de 2020/2021”.

Além disso, os colaboradores mostram-se, igualmente, descontentes com a “criação de serviços não previstos na orgânica da UTA sem o aval do Conselho Geral, que também ainda não foi criado, e com a instabilidade na permanência de gestores e dirigentes, dos quais cerca três ou quatro, pediram demissão num período de um ano da criação da UTA”.

Conforme o líder do Sintap, logo que criaram a UTA, a reitoria foi instalada numa residência da zona de Madeiralzinho, mas a intenção é ter uma reitoria que dê atenção à Universidade Técnica do Atlântico e que as coisas sejam feitas conforme foram previstas na criação da UTA.

C/Inforpress

1 Comentário

1 Comentário

  1. Pingback: São Vicente: Trabalhadores do ISECMAR anunciam greve de dois dias – Cv Digital

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top