PUB

Cultura

Tchalé Figueira apresenta “Txon Vendido” esta quinta-feira na Praia

O artista plástico e escritor Tchalé Figueira lança, nesta quinta-feira,11, a sua obra “Txon Vendido”, na Biblioteca Nacional, cidade da Praia. A apresentação do romance, que leva o autor a recorrer ao absurdo para traduzir uma realidade marcada pela corrupção e sede do poder, está marcada para as 18 horas.

Segundo a sinopse da obra, “Txon Vendido” retoma a epopeia trágica das ilhas iniciada com “Solitário”, que narra o êxodo da população, em fuga à sepultura das areias do deserto. Em jeito de thriller político, o autor desvenda os contornos de uma intrincada corrupção que envolve líderes políticos do país das ilhas e da União Europeia.

“Com a bênção dos EUA, querem transformar o cemitério de areias num depósito nuclear internacional. Mas, a bela Kyoko faz desmoronar a trama. Demasiados confiantes, os políticos não previram que alguns se deixassem ficar nas ilhas, se organizassem em guerrilha, e dominassem o exército que os procura dizimar. Um acaso do destino, e um capricho da natureza, acabam por transformar as ilhas naquilo que levaram longínquos navegadores, nelas arribados, a baptizá-las de verdes”, lê-se ainda na síntese.

Uma chamada de atenção sobre a corrupção

Na sua primeira apresentação ao público, no Mindelo, Tchalé Figueira disse que “todos nós conhecemos a história de Txon Vendido”, afirmando que “estamos a viver em um país de Txon Vendido em que, qualquer dia desses, já não temos mais para vender”.

“Este livro é um tópico, uma tramoia, em que, no futuro, Cabo Verde chega a ser invadido por areia e por achar que Cabo Verde tem umas terras no Paraguai, comprado há muitos anos, a União Europeia e Estados Unidos precisam de um lugar para pôr os seus lixos atômicos, então combinam com o presidente corrupto de Cabo Verde que, depois de vender o país, por muitos milhões, evacua as pessoas para o Paraguai”, explicou em entrevista à TCV.

A obra não foge da essência deste autor que mais uma vez recorreu ao grotesco e ao absurdo para traduzir uma realidade marcada pelos frutos da corrupção e sede do poder. Sendo assim, este livro não deixa de ser uma chamada de atenção.

“Infelizmente, temos um povo bastante passivo que vende a sua alma por truta e meia, não temos políticos com perfil patriótico. Acho uma grande traição vender a sua alma e o seu país, e espero que este livro chegue nas mãos de muita gente, principalmente jovens, como uma chamada de atenção para mostrar que existimos e que, apesar de sermos frágeis, a nossa fragilidade não nos deixa perder o orgulho”.

Depois do Mindelo, “Txon Vendido” chega agora à cidade da Praia. O lançamento na tarde de hoje está a cargo de Redy Wilson Lima, sob a chancela da Livraria Pedro Cardoso Editora.

PUB

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

PUB

PUB

To Top