PUB

Cultura

Euclides Fernandes prepara dois novos singles

O artista cabo-verdiano Euclides “Kily” Fernandes está a ultimar o lançamento de dois novos singles esta quadra natalícia. “Padáz Pão» e «Mka Sta Aguenta Más” assim se chamam. Músicas que fazem parte do seu primeiro álbum “Berdeano”, também a caminho.

Natural de São Salvador do Mundo (Picos), emigrante em Portugal, Euclides Jorge Monteiro Fernandes está a preparar o lançamento de dois singles em Dezembro, além do seu primeiro álbum, “Berdiano”.

Kily Fernandes, que viajou para Portugal em 1998 com 18 anos, conta que a sua paixão pela música surgiu muito cedo.

“Lembro-me que aos cinco e seis anos já cantava várias músicas que na altura estavam em voga, nomeadamente, de Blik Tchutchi, Zeca Nha Reinalda, Ildo Lobo, João Cirilo, etc.”

Euclides revela ainda que em meados de 90 converteu-se à Igreja Evangélica Assembleia de Deus, onde teve a oportunidade de ter um contacto mais directo com a música.

“Comecei a participar no coral da igreja até a minha vinda para Portugal, onde cheguei a frequentar uma escola de música para o curso de bateria.

Mas, infelizmente, não terminei o curso por vários motivos, designadamente, trabalhos, estudos família, etc.”.

Tradição
Euclides assume-se como um amante da cultura cabo-verdiana e por isso assegura que os estilos musicais que canta são funaná, morna, batuko, cabozouk, kizomba etc.

“Já tenho quatro singles no mercado, na plataforma youtube, ‘Dexam cuida de Bo’, gravado em 2014 com o produtor Maicam Monteiro, e ‘Nhu Siôr
du Mundo’, gravado por mim e com a ajuda do meu filho Edson Tavares, que é hoje é Dj e produtor, e pelo meu primo Emanuel Goncalves, que também é cantor, humorista e proprietário do canal you can records. E ainda ‘Mimáda’ e ‘Berdeano’ produzidos por Maicam Monteiro.

Euclides revela que tem mais seis singles prontos para serem lançados. “Só faltam os videoclipes para fechar o meu primeiro álbum a solo, intitulado ‘Berdeano’. Entre 15 e 24 de Dezembro vou lançar dois singles, um funaná intitulado ‘Padáz Põn’ e um zouk, ‘M Ka Sta Aguenta Más’.

O artista garante que nas suas músicas transmitem sempre mensagens de amor, coragem, e temas relacionados com a sociedade e o patriotismo.

“Todas as minhas músicas são escritas por mim e algumas até são produzi- das também por mim”.

Dificuldades

Euclides Fernandes considera que a falta de união e humildade é uma das maiores dificuldades que os artistas cabo-verdianos enfrentam em Portugal.

E defende por isso espírito de colaboração entre os artistas cabo-verdianos que vivem na diáspora.

No que tange ao período da pandemia em que os concertos dos artistas estavam cancelados, Euclides Fernandes assegura que não se ressentiu muito, dado que não vive da música. «Faço composições por gosto e paixão, mas não vivo da música; este é um sonho que tive de abrir mão”, confessa.

Publicada na edição semanal do jornal A NAÇÃO, nº 743, de 25 de Novembro de 2021

PUB

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top