PUB

Desporto

Samuel Vaz quer representar Cabo Verde nos campos internacionais

Samuel da Costa Vaz é um estudante cabo-verdiano, de 25 anos, com uma paixão pelo futebol desde criança. Há 12 anos que reside no Porto, em Portugal, onde é jogador no Graciosa Futebol Clube dos Açores.

O jovem, natural da cidade da Praia, mais concretamente do bairro da Achadinha Pires, afirma ter como seu maior sonho um dia jogar na Liga dos Campeões.

“Meu sonho é um dia jogar na Liga dos Campeões, mas principalmente quero representar Cabo Verde em vários campos internacionais, para sentir no peito o futebol cabo-verdiano, o ambiente e o sentimento de orgulho é que jogar pelo meu país”, acrescenta.

Outro desejo de Vaz é vir a Cabo Verde e pertencer ao Benfica da Praia, clube que joga na primeira divisão do campeonato regional de Santiago Sul.

“Sempre gostei do futebol, lembro-me que desde criança, já com cinco anos de idade jogava bola com os meus amigos, então com o tempo não parei de pratiar e de treinar, mesmo agora tendo outras responsabilidades” friza Samuel pensando nos estudos.

Este ano o futebolista entrou para a Universidade Aberta, no curso de Gestão e já fez todos os planos para conciliar os estudos académicos com a rotina de treinos e jogos que tem por fazer. “São quatro treinos por semana, sem contar os outros jogos no qual participo, então tenho de ter um horário para dedicar a cada tarefa durante o dia”.

O mesmo assegura que dos jogos que participou recorda claramente as vitórias no campeonato Portugal e campeonato nacional juniores.

“Quero ter um futuro promissor”
Por outro lado, Samuel Vaz confessa que “estar longe da família e perder amizades principalmente de infância” são alguns momentos desafiantes que ele tem enfrentado para puder estar presente no mundo do futebol.

“Procuro sempre manter uma alimentação saudável, a base de verduras para que o meu corpo possa estar em forma e consequentemente praticar e dar o meu melhor no campo”.

Questionado sobre o futuro, Samuel garante que quer, antes de tudo, “estudar para ter um futuro promissor, porque o futebol é muito difícil, mas vou lutar sempre pelo desporto que eu amo, sempre com humilde e muita dedicação para trabalhar a cada dia mais”.

Publicada na edição semanal do jornal A NAÇÃO, nº 747, de 23 de Dezembro de 2021

Por: Tiana Silva

PUB

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

PUB

PUB

To Top