PUB

Diáspora

“Mizé – História de uma Mulher Migrante” testemunha a tenacidade das cabo-verdianas 

“Mizé – História de uma Mulher Migrante” conta uma verdadeira viagem virtual, através da narração de uma “mulher migrante”. Produzido pela cabo-verdiana Maria José Mendes Évora, socióloga  de formação, o documentário descreve a tenacidade, formação, inclusão e a integração, num percurso que tem tornado extraordinária a experiência das mulheres de origem cabo-verdiana imigrante, em Itália, acompanhada de uma inevitável harmonia.

A primeira apresentação e a mesa-redonda tiveram lugar em Roma (a Capital da Itália), a 2 de Dezembro,  na “Sala da Rádio do Vaticano”, com a segunda, no mesmo format, a decorrer uma semana depois, em Nápoles, no “Centro de Alta Formação”. O segundo evento foi coordenado e organizado,  pela, também, cabo-verdiana, Maria Ilena Rocha, conselheira sindical e vice-presidente da ANOLF.

O documentário é uma história com um denominador-comum: a tenacidade das mulheres, a formação, a inclusão e a integração num percurso que tem tornado extraordinária a experiência das mulheres de origem cabo-verdiana imigrante, acompanhada de inevitável harmonia, que se podem criar, através do apoio e solidariedade das mulheres e as realidades sociais e associativas de Itália e Cabo Verde.

As duas iniciativas contaram com “vários ilustres convidados”, alguns deles, também, entrevistados no mesmo documentário. 

“Entre essas personalidades de grande valor social, cultural e político, que cruzaram a exemplar vida da mesma protagonista, destacamos Sílvia Costa,  que foi comissária extraordinária do Governo, Lívia Turco, que foi ministra da Saude da República Italiana e membro do Parlamento, Mariagrazia Russo, reitor da Faculdade de Interpretação e Tradução Unint, Silvia Rossi, Atzeni Beatrice e Chiara Atzeni, presidente da Associação ‘Danilo Silva Brito’. Além destes, merecem, também, destaque, entre outros, Sônia Lima Morais e Manuel Ramos – sendo estes últimos, da segunda geração, mas, que mostraram sensibilidade e grande gratidão pelo trabalho que fizeram as primeiras gerações de mulheres na Italia, como a própria Maria José Mendes Évora, sem se  esquecer os familiares e amigos próximos como Filomena Évora, amiga de infância da mesma protagonista do documentario”, conta ao A NAÇÃO, Maria Ilena Rocha. 

Do livro ao documentário… 

Antes do documentário em tela, Maria José Mendes Évora publicou o seu primeiro livro, intitulado: “Trinta e oito anos de história” (“Trentotto  Anni di Racconto”), onde conta a sua viagem de criança e adolescente, oriunda de uma numerosa família, na Ilha da Boa Vista (em Cabo Verde), “forçou” a imigrar para Itália.  

Presentemente,  Évora é uma profissional estabelecida – com doutoramento em Sociologia! -, líder comunitária, uma personalidade em Itália e referência para a Diáspora Cabo-Verdiana naquele País Europeu. 

“Foi um caminho acidentado, mas linear, que exigiu toda a tenacidade e determinação de que foi capaz para realizar o seu sonho, quais sejam: estudar para obter a licenciatura, em ordem a ter as ferramentas para conhecer e ser útil à Comunidade”, sustenta Ilena Rocha.

Hoje, graças ao seu livro “Trentotto  Anni di Racconto”, nasce o documentário “Mizé – História de uma Mulher Migrante”, que é uma longa e detalhada história da qual emergem a força dos valores em que se ancoram as escolhas importantes de uma vida, de dignidade e do respeito. 

“A obra combina o estudo e a investigação sobre a imigração, em particular sobre a condição da mulher imigrante, com o compromisso de defender os seus direitos nas relações com as instituições, com o Mundo do Trabalho e com os países da origem”, realça Ilena Rocha, sindacalista e uma das cabo-verdianas de segunda geração na Itália.

Diante do grande sucesso e participação, o documentário será reapresentado em várias cidades e realidades italianas – que acolhem a comunidade cabo-verdiana -, de modo a dar oportunidade a “Mizé” para partilhar as suas ricas e multifacetadas experiências e vivências com a Diáspora Crioula na Itália, assim como com as Autoridades daquele País Europeu e das várias comunidades ali residentes. 

“Mizé” é “Cavaleira da Ordem de Mérito”

Socióloga de formação (com grau de Doutoramento), a compatriota Maria José “Mizé Mendes Évora é “Cavaleira da Ordem do Mérito da República Italiana”, devido à “sua contribuição dada, ao longo dos anos, para a questão da Migração, através de várias associações”.

O Galardão foi entregue pelo (então) Presidente da República, Carlo Azeglio Ciampi, que também foi presidente do Banco Central italiano e teve papel fundamental em guiar aquele País Europeu para a Moeda Única da Europa (Euro).

O documentário “Mizé – História de uma Mulher Migrante”, conta com a direcção de Andrea Pergolari, entrevistas de Maria Piccone, ficando a fotografia e o som a cargo de Lorenzo Isonzi e Giulia Morici.

Publicada na edição semanal do jornal A NAÇÃO, nº 748, de 30 de Dezembro de 2021

PUB

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

PUB

PUB

To Top