PUB

Educação

Tudo a postos para o arranque do ano lectivo em Santo Antão

Escola Técnica João Varela

Em Santo Antão está tudo a postos para o arranque do ano lectivo 2022/23. Aqui, perto de oito mil alunos estão inscritos nos estabelecimentos de Ensino Básico Obrigatório e Ensino Secundário. A perda da população estudantil e os desafios de transporte escolar e de inclusão de alunos com necessidades educativas especiais ainda persistem na mais montanhosa ilha do país. 

Pouco mais de 600 professores recebem 7925 alunos do Ensino Básico Obrigatório (EBO) e Ensino Secundário em Santo Antão no regresso às aulas, a 19 de Setembro. Os delegados de educação dos três municípios da ilha asseguraram ao A NAÇÃO que todas as condições estão criadas, com a excepção de alguns ajustes, para o arranque do novo ano escolar. 

Em Porto Novo, maior município da ilha, o novo delegado do Ministério da Educação, Leonildo Oliveira, garante que está tudo a posto para receber os 3548 alunos inscritos. São 2529 do EBO e 1019 do ensino secundário, divididos por 333 professores. 

Obras em andamento 

Em relação às escolas, há ainda trabalhos de melhorias em andamento e por fazer, como é o caso da Escola Básica João Madeira, em Tarrafal de Monte Trigo, que vai ser remodelada de forma a acolher, pela primeira vez, o 8o ano de escolaridade, com a construção, até finais de setembro, de mais uma sala de aula. Contudo, o ministério garante “soluções alternativas”, caso a obra não for disponibilizada a tempo. 

Na Escola Básica Alfredo Delgado, em Dominguinhas, primeiro povoado de Alto Mira, vai-se melhorar o piso, a pintura e a segurança. Nas outras escolas, como assegura o delegado, há “pequenos trabalhos” em andamento no que diz respeito aos materiais escolares e outras melhorias necessárias.

Outras escolas por melhorar 

No entanto, destacou a necessidade de melhorar outras escolas, nomeadamente a escola básica Marcelino Silva, em Ribeira da Cruz, escola básica de Jorge Luís (Agrupamento III) e escola nova de Ribeira de Corujinha, na cidade (Agrupamento II).

“Exceptuando as escolas referidas, estamos em condições de proporcionar o regresso às aulas em condições de segurança em todas as outras escolas do concelho, embora sempre teremos desafios a enfrentar, que advém da dinâmica do sistema educativo”, afiança Leonildo Oliveira.

Além do melhoramento das escolas, o desafio neste disperso município continua a ser, também, o transporte escolar, melhoramento das condições de acesso a localidades e prática de educação física em algumas zonas do interior do município. “O transporte escolar continua sendo um desafio que teremos de normalizar no futuro”, admite o delegado.

Paul 

Já no município do Paul, o menor da ilha, apenas 1016 alunos do EBO e secundário estão matriculados. Para a delegada de educação local, Lineth Cruz, todas as condições já estão criadas para o retorno dos alunos às aulas. 

“As escolas reúnem todas as condições para o regresso às aulas. Temos vindo a apostar na reabilitação das mesmas, com manutenções periódicas para que estejam limpas, organizadas e aptas para receberem os alunos, professores e demais colaboradores”, avança.

Contudo, ainda são vários os desafios enfrentados pelo sistema de ensino no município, nomeadamente no que toca a inclusão de crianças com necessidades educativas especiais nas escolas. Segundo Lineth Cruz há, ainda, resistência por parte das famílias em enviar esses alunos para as escolas, não acreditando no potencial dessas crianças e na capacidade dos professores em dar respostas aos desafios. 

O desafio prende-se, também, em envolver, ainda mais, as famílias no geral, no processo educativo e formativo dos alunos. 

Ribeira Grande 

No município da Ribeira Grande prevê-se um total de 3217 alunos no novo ano letivo. São 2397 do EBO e 820 do secundário, divididos por 282 professores, conforme dados avançados pela nova delegada de educação do município, Elisabeth Delgado, que não deu mais informações acerca dos preparativos do ano lectivo. 

Em todos os três municípios de Santo Antão nota-se uma redução do número de alunos ao logos dos anos, facto que, segundo os delegados de educação, não se relaciona com o abandono escolar, mas sim com o êxodo da população rural para outras ilhas e uma diminuição da taxa de natalidade. 

Ano lectivo 2021/22

Municípios com balanço positivo, apesar de situações atípicas 

Liceu António Januário Leite, Paul

Os três municípios de Santo Antão fazem um balanço positivo do ano lectivo passado, apesar de algumas taxas de reprovações não habituais, em Porto Novo, no 8o e 9o ano de escolaridade. 

De modo geral, a taxa de aprovação em Porto Novo foi de 78% e de reprovação de 22%. No 8o e 9o ano de escolaridade as reprovações atingiram taxas não habituais, com 62% e 45% respetivamente.

Reforma do sistema educativo 

Leonildo Oliveira, delegado de educação no município, justifica os dados com a reforma do sistema educativo e com a entrada em vigor dos diplomas que estabelecem o currículo do ensino básico e secundário, bem como o novo sistema de avaliação das aprendizagens. 

Já no que diz respeito ao abandono escolar, aqui, a taxa situa-se abaixo dos 2%. Mesmo assim, como garante Oliveira, existe uma articulação entre os agrupamentos escolares e os serviços de educação de jovens e adultos no sentido de promover uma integração desses jovens no sistema de educação de adultos. Como conta, a parceria tem dado frutos com muitos alunos a continuarem os estudos no 9o ano. 

Outra alternativa têm sido os cursos de formação profissional ministrados pelo Centro de Emprego e Formação Profissional de Santo Antão em parceria com a Câmara Municipal que tem aproveitado jovens fora do sistema educativo.

Paul com 10 abandonos

No Paul, o 8o ano de escolaridade foi também o mais atingido pelas reprovações, segundo Lineth Cruz. Contudo, neste município, as aprovações superam os 90% no EBO e 84% no ensino secundário.

Já o abandono escolar também esteve a baixo dos 2%, com 10 abandonos. Neste concelho, pretende-se reforçar a aposta no acompanhamento de proximidade e envolvimento dos pais e encarregados no combate ao abandono escolar, através de projetos interdisciplinares e holísticos. 

Oo balanço escolar no município da Ribeira Grande nos dá conta de 87,1% de aprovação no EBO e 82% no secundário. É o município que possui a menor taxa de abandono escolar na ilha, com 0,7%. 

No que toca à problemática do assédio e abuso sexual nas escolas na ilha, não houve registo de situações do tipo, segundo os delegados, lembrando que Porto Novo já foi considerado um dos municípios com mais casos do país, resultando em despedimentos e actuações judiciais.

Apesar de não se ter notificações actuais, as delegações do Ministério da Educação prometem não baixar a guarda no combate à problemática e agir na prevenção.

Publicada na edição semanal do jornal A NAÇÃO, nº 784, de 08 de Setembro de 2022

 

PUB

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

PUB

PUB

To Top