PUB

Mundo

Avança projecto para criar Rede Europeia de Bioeconomia Circular

Financiado pela união Europeia, em cerca de três milhões de euros, o projeto BioRural é um trabalho conjunto de cerca de duas dezenas de parceiros de 14 países diferentes e pretende dar apoio à transição para uma Bioeconomia Circular sustentável, regenerativa e inclusiva, em toda a Europa (EU). 

Igualmente, visa apoiar os agentes de inovação na introdução de soluções biotecnológicas de pequena escala, em áreas rurais. O projeto tem duração prevista de três anos e a Universidade de Coimbra é uma das que vai participar.

José Baranda Ribeiro, professor do Departamento de Engenharia Mecânica (DEM) da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) , e João Santos, aluno de doutoramento e investigador do DEM, são os responsáveis pelo projeto na Universidade de Coimbra (UC).

Europa rural necessita de mudança urgente

Segundo João Santos, investigador da FCTUC, “a Europa rural necessita urgentemente de uma mudança de paradigma” e acrescenta que “com a migração de um crescente número de pessoas para os centros urbanos nas últimas décadas, a atual distribuição demográfica é bastante desigual, as zonas rurais são habitadas por 30% da população europeia ainda que correspondam a mais de 80% do território”

Já José Baranda Ribeiro, professor do DEM, lembra que “a atividade económica da UE é largamente dependente de sistemas de produção lineares e de recursos não renováveis. Apesar das inúmeras tentativas para reduzir essa dependência, o facto é que, por exemplo, só em 2018, os estados da UE produziram 61,8 milhões de toneladas de plástico”.

BioRural surge como uma resolução dos problemas crónicos sentidos por populações rurais

Problemas como o elevado risco de pobreza, o acesso limitado a serviços e a infraestruturas básicas e os baixos níveis de formação, em comparação com outras áreas da EU são consequências da combinação de uma economia linear com uma extensa urbanização, afirma a equipa da FCTUC.

Neste sentido, o BioRural “visa contribuir para a resolução destes desafios económicos, demográficos e climáticos através do desenvolvimento de um quadro de transição eficaz na promoção da adoção de soluções inclusivas que beneficiarão todas as áreas rurais europeias”, sugere a equipa da FCTUC.

Apoiar os agentes de inovação a introduzir soluções biotecnológicas inclusivas nas áreas rurais da Europa

José Baranda Ribeiro, garante que “avaliar o estado atual da Bioeconomia rural europeia e identificar as barreiras que afetam a adoção de inovação é apenas o ponto de partida” e assegura que o apoio aos agentes de inovação a introduzir as sua soluções biotecnológicas inclusivas nas áreas rurais da Europa contribuem para a consciencialização das populações e a criação de valor.

Pretende-se criar condições para a cooperação entre vários intervenientes-chave na cadeia da Bioeconomia de agricultores, pescadores, silvicultores, e empreendedores rurais a grupos mais alargados, como empresas privadas, autoridades administrativas locais, ONGs, escolas, universidades e centros de formação.

A cada um dos intervenientes será fornecido apoio específico e independente, que pode ir desde a simples consultadoria à mais ou menos profunda orientação-mentoria.

Integram o projeto parceiros dos seguintes países: Alemanha, Dinamarca, Eslovénia, França, Grécia, Itália, Letónia, Lituânia, Macedónia, Países Baixos, Polónia, Portugal e Roménia.

De Portugal, para além da Universidade de Coimbra, faz ainda parte deste consórcio o Centro para a Biomassa e Energia (CBE).

Tiago Ribeiro

Estagiário

PUB

Adicionar um comentário

Faça o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PUB

PUB

To Top